Efeitos do Treinamento Resistido na Força Máxima, na Flexibilidade e na Autonomia Funcional de Mulheres Idosas

Por: Ana Cristina Glória Barreto, , e Rodrigo Gomes de Souza Vale.

Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano - v.8 - n.4 - 2006

Send to Kindle


Resumo

O objetivo desse estudo foi verifi car os efeitos do treinamento resistido na força máxima, na fl exibilidade e na autonomia funcional, bem como a correlação existente entre a força máxima e a autonomia funcional de idosas (grupo de força - GF n=11, = 66,3±7,84 anos e um grupo controle - GC n=11, =65,1±3,33 anos). O GF foi submetido a um treinamento contra resistência de força (75-85% 1RM), por 16 semanas, 2 dias/semana. O tratamento estatístico utilizado foi correlação de Pearson e o teste “t” de Student. Os dados mostraram resultados signifi cativos do GF no ganho da força máxima, fl exibilidade e autonomia funcional, e correlação signifi cativa entre a força máxima medida no exercício supino reto (SR) e o teste de autonomia funcional levantar da posição de decúbito ventral (LPDV) (r=-0,67). Os dados sugerem que o programa de treinamento melhorou o desempenho das atividades da vida diária da amostra, com um treinamento de apenas 2 dias/semana.

Endereço: https://periodicos.ufsc.br/index.php/rbcdh/article/view/3922

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.