Efeitos de Um Jogo de Futebol Sobre Marcadores Fisiológicos, Bioquímicos e de Performance

Por: André Montanholi Fornaziero.

124 páginas. 2009 31/03/2009

Send to Kindle


Resumo

O objetivo do presente estudo foi verificar os efeitos de um jogo de futebol sobre alguns marcadores fisiológicos, bioquímicos e de performance. Para tanto, 16 atletas juniores de futebol (Idade: 18,2 ± 0,5 anos, Peso: 77,4 ± 4,9 kg, Estatura: 179,3 ± 6,4 cm, %G: 11,5 ± 1,2) inicialmente realizaram uma avaliação de esforço máximo na esteira, para a determinação da FCMÁX e VO2MÁX. Posteriormente, os atletas foram divididos em dois grupos: experimental (n=10) e controle (n=6), sendo que o GE participou de uma partida de futebol de dois tempos de 45’. Todos os sujeitos foram submetidos a 4 coletas de sangue intravenoso em função do jogo, sendo elas: repouso após jejum de 12 horas, antes do jogo, no intervalo e após o jogo. As variáveis sanguíneas analisadas foram: lactato, eritrócitos, hemoglobina, hematócrito, leucócitos, plaquetas, CK, LDH, uréia, glicose, cálcio, sódio, potássio e cortisol. Durante toda a partida os atletas tiveram a freqüência cardíaca monitorada a cada 5 segundos por meio da utilização de uma fita do conjunto de freqüencímetros Polar Team System. Além disso, toda a partida foi filmada para a quantificação das ações físicas (caminhadas, trotes e piques) e técnicas (desarmes, faltas e passes). Na análise estatística, foi utilizada a técnica descritiva (média, desvio padrão, valor mínimo e máximo), ANOVA para Medidas Repetidas seguida do Post-Hoc de Tukey, além dos Testes T de Student para amostras pareadas (comparação entre os tempos) e não-pareadas (comparação entre os grupos). Para essas análises foi utilizado o software Statistica 6.0, com significância fixada em p<0,05. Observou-se que os atletas permaneceram em uma intensidade relativa à FCRES de 75,8 ± 12,7 % no primeiro tempo e 74,0 ± 12,2% no segundo tempo. O lactato também demonstrou alterações significativas, com valores de 4,5 ± 2,2 no intervalo e 3,2 ± 1,6 mmol/l após o jogo. Com relação às variáveis bioquímicas, as que apresentaram aumentos significativos durante o jogo foram: leucócitos, plaquetas, CK, LDH, uréia, glicose e cortisol, indicando também que o primeiro tempo teve uma intensidade maior em relação ao segundo tempo. Além disso, durante todo o jogo os atletas permaneceram a maioria do tempo realizando atividades de baixa ou moderada intensidade, proporcionando momentos para recuperação física. Dessa forma, foi observado que a prática de um jogo de futebol provoca efeitos significativos em marcadores fisiológicos (freqüência cardíaca e lactato) e bioquímicos (leucócitos, plaquetas, CK, LDH, uréia e glicose), indicando uma considerável solicitação fisiológica. Palavras-ch

Endereço: http://hdl.handle.net/1884/19530

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.