Elementos do Microssistema Esportivo: Estudo em Contexto de Desenvolvimento de Atletas de Basquetebol

Por: , Alexandra Folle, , , Juliana Regina Silva Guimarães e Raquel Krapp do Nascimento.

Revista Brasileira de Ciência & Movimento - v.25 - n.3 - 2017

Send to Kindle


Resumo

Este estudo foi delineado a partir da Teoria Ecológica do Desenvolvimento Humano e buscou identificar os elementos do microssistema que contribuem para o processo de desenvolvimento de atletas de basquetebol. Participaram da investigação 31 atletas do sexo feminino e dois treinadores vinculados às categorias de formação de um Clube de Basquete do estado de Santa Catarina. A coleta das informações foi realizada por meio de entrevistas semiestruturadas, as quais foram analisadas a partir da técnica de análise de conteúdo do tipo categorial. Os resultados revelaram que as atividades molares vivenciadas pelas atletas de basquetebol correspondem tanto ao treinamento físico quanto ao treinamento técnico-tático, possuindo ambos persistência temporal e significado para treinadores e atletas. As relações interpessoais são vistas como de fundamental importância para o sucesso do contexto no desenvolvimento das atletas e em competições de categorias de base; evidenciou-se que especialmente as díades observacionais e de atividade conjunta (reciprocidade e afetividade positiva) se fazem presentes, influenciando nesse processo. Além disso, enfatizou-se a presença de papéis sociais importantes destinados às atletas (em formação, de rendimento, profissionais) e aos treinadores (exigentes, professores, familiares), dependendo da categoria em que estas se encontram. Assim, a união entre as atletas e entre as atletas e seus treinadores, construída ao longo dos anos, parece influenciar, no sucesso alcançado como equipe. Tais evidências permitem concluir que o conjunto dos elementos presentes no microssistema esportivo estudado tem possibilitado o alcance de sucesso deste contexto no desenvolvimento de atletas do basquetebol feminino no que tange a realidade desta modalidade esportiva em Santa Catarina.Referências 1. Bronfenbrenner U. The ecology of human development: experiments by nature and design. Cambridge (UK): Harvard University Press; 1979. 2. Bronfenbrenner U. A ecologia do desenvolvimento humano: experimentos naturais e planejados. Porto Alegre (RS): Artes médicas; 1996. 3. Bronfenbrenner U, Ceci SJ. Nature-nurture reconceptualized in developmental perspective: a bioecological modelo. Psychol Rev. 1994; 101: 568-586. 4. Bronfenbrenner U, Morris PA. The ecology of developmental process. In: Damon W, Lerner RM, organizers. Handbook of child psychology: theoretical models of human development. New York (NY): John Wiley; 1998. p. 993- 1028. 123 Elementos do microssistema esportivo R. bras. Ci. e Mov 2017;25(3):106-124. 5. Stefanello JMF. A participação da criança no desporto competitivo: uma operacionalização e verificação empírica da proposta teórica de Urie Bronfenbrenner. [Tese de Doutorado]. Coimbra: Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física da UC; 1999. 6. Krebs RJ. Proximal processes as the primary engines of development. Int J Sport Psychol. 2009; 40: 219-227. 7. Vieira JLL. O processo de abandono de talentos do atletismo do estado do Paraná: um estudo orientado pela teoria dos sistemas ecológicos. [Tese de Doutorado]. Santa Maria: Centro de Educação Física e Desportos da UFSM; 1999. 8. Brandão MRF. Equipe nacional de voleibol masculino: um perfil sócio-psicológico à luz da ecologia do desenvolvimento humano. [Dissertação de Mestrado]. Santa Maria: Centro de Educação Física e Desportos da UFSM; 1996. 9. Fontes RCC, Brandão MRF. A resiliência no âmbito esportivo: uma perspectiva bioecológica do desenvolvimento humano. Motriz. 2013; 19: 151-159. 10. Souza VH. Iniciação esportiva no basquetebol: uma análise à luz do modelo bioecológico do desenvolvimento humano. [Dissertação de Mestrado]. São Paulo: Programa de Pós-Graduação em Educação Física da USJT; 2010. 11. Botti M, Nascimento JV. The teaching-learning-training process in rhythmic gymnastics supported by the ecological theory. Sci Gymnastics J. 2011; 3: 35-48. 12. Henriksen K, Stambulova N, Roessler KK. Holistic approach to athletic talent development environments: a successful sailing milieu. Psychol Sport Exercise. 2010; 11: 212-222. 13. Henriksen K, Stambulova N, Roessler KK. Riding the wave of an expert: a successful talent development environment in Kayaking. Sport Psychol. 2011; 25: 341-362. 14. Domingues MP, Cavichiolli F, Gonçalves CE. Perspectiva ecológica na determinação de percursos desportivos contrastantes em jovens futebolistas. Rev Bras Educ Fís Esporte. 2014; 28: 249-261. 15. Rother RL. Análise da formação de atletas no voleibol brasileiro sob a perspectiva da teoria bioecológica do desenvolvimento humano. [Dissertação de Mestrado]. Lajeado: Centro Universitário da UNIVATES; 2014. 16. Folle A, Nascimento JV, Souza ER. Estrutura e finalidades do ambiente esportivo: estudo de caso em clube de basquetebol feminino. R Bras Ci e Mov. 2015; 23: 23-37. 17. Rother RL, Mejia MRG. Análise da aplicabilidade da teoria bioecológica do desenvolvimento humano no esporte a partir de uma revisão bibliográfica. Cad Pedagog. 2015; 12: 210-222. 18. Ato M, López JJ, Benavente A. Un sistema de clasificación de los diseños de investigación en Psicología. Anales de Psicología. 2013; 29: 1038-1059. 19. Günther H. Pesquisa qualitativa versus pesquisa quantitativa: esta é a questão? Psicol Teor Pesqui. 2006; 22: 201- 210. 20. Viveiros L, Moreira A, Bishop D, Aoki MS. Ciência do Esporte no Brasil: reflexões sobre o desenvolvimento das pesquisas, o cenário atual e as perspectivas futuras. Rev Bras Educ Fís Esporte. 2015; 29: 163-175. 21. Santana JP, Koller SH. Introdução à abordagem ecológica do desenvolvimento humano nos estudos com crianças e adolescentes em situação de rua. In: Koller SH, organizador. Ecologia do desenvolvimento humano: pesquisa e intervenção no Brasil. São Paulo (SP): Casa do Psicólogo; 2004. p. 113-123. 22. Campos CJG. Método de análise de conteúdo: ferramenta para a análise de dados qualitativos no campo da saúde. Rev Bras Enferm. 2004; 57: 611-614. 23. Guizzo BS, Krziminskic CO, Oliveira DLLC. O software QSR Nvivo 2.0 na análise qualitativa de dados: ferramenta para a pesquisa em ciências humanas e da saúde. Rev Gaúcha Enferm. 2003; 24: 53-60. 24. Polonia AC, Dessen MA, Silva NLP. O modelo bioecológico de Bronfenbrenner: contribuições para o desenvolvimento humano. In: Dessen MA, Costa Junior ÁL, organizadores. A ciência do desenvolvimento humano: tendências atuais e perspectivas futuras. Porto Alegre (RS): ARTMED; 2005. p. 71-89. 25. Bizzocchi C. E. Planejamento em esportes coletivos. In: De Rose Junior D, organizer. Modalidades esportivas coletivas. Rio de Janeiro (RJ): Guanabara Koogan; 2006. p. 90-112. 26. Saad MA. A formação técnico-tática de jogadores de futsal nas categorias sub-13 e sub-15: análise do processo de ensino-aprendizagem-treinamento. [Tese de Doutorado]. Florianópolis: Centro de Desportos da UFSC; 2012. 27. Collet C, Nascimento JV, Ramos MHKP, Donegá AL. Processo ensino-aprendizagem-treinamento no voleibol infantil masculino em Santa Catarina. Rev Educ Fís UEM. 2007; 18: 147-159. FOLLE et al. R. bras. Ci. e Mov 2017;25(3):106-124. 124 28. Lima COV, Martins-Costa HC, Greco PJ. Relação entre o processo ensino-aprendizagem-treinamento e o desenvolvimento do conhecimento tático no voleibol. Rev Bras Educ Fís Esporte. 2011; 25: 251-261. 29. Morales JCP, Silva EG, Matias CJAS, Reis RA, Greco PJ. Processo de ensino-aprendizagem-treinamento no minibasquetebol. Fit Perform J. 2009; 8: 349-359. 30. Alonso MC, Godoy SJI. La planificación de los contenidos de entrenamiento de baloncesto en equipos de iniciación. Rev Cienc Deporte. 2010; 6: 49-65. 31. Costa HCM, Lima COV, Matias CJAS, Greco PJ. Efeito do processo de treinamento técnico-tático no nível de conhecimento declarativo de jovens praticantes de voleibol. Rev Min Educ Fis. 2007; 15: 5-19. 32. Saad MA, Nascimento JV, Both J, Milistetd M. Impacto das metodologias empregadas pelos treinadores no desenvolvimento técnico-tático individual dos jogadores de futsal das categorias sub-13 e sub-15. Rev Bras Cienc Mov. 2014; 22: 96-105. 33. Saad MA, Ramos V, Milistetd M, Both J, Nascimento JV. Estrutura das sessões de treinamento técnico-tático de equipes de futsal sub-13 e sub-15 ao longo da temporada esportiva. Rev Bras Futsal e Futebol. 2015; 7: p. 360-365. 34. Cañadas M, Ibáñez SJ, García J, Parejo I, Feu S. Importância de la planificación em el entrenamiento deportivo: análisis del processo de entrenamiento em minibasket. Wanceulen EF Digital. 2010; 7: 51-64. 35. Saad MA. Estruturação das sessões de treinamento técnico-tático nos escalões de formação do futsal. [Dissertação de Mestrado]. Florianópolis: Centro de Desportos da UFSC; 2002. 36. CañadasM, Ibáñez SJ, Feu S, García J, Parejo I. Análisis de los medios de entrenamiento en un equipo minibasket y la influencia de un programa formativo para el entrenador: un estudio de caso. Ágora para la EF y el Deporte. 2011; 3: 363-382. 37. Oliveira V, Paes RR. A pedagogia do esporte repensando o treinamento técnico-tático nos jogos desportivos coletivos. In: Paes RR, Balbino HF, organizadores. Pedagogia do esporte: contextos e perspectivas. Rio de Janeiro (RJ): Guanabara Koogan; 2012. p. 63-77. 38. Greco PB, Benda RN. Iniciação aos esportes coletivos: uma escola da bola para crianças e adolescentes. In: De Rose Junior D, organizador. Modalidades esportivas coletivas. Rio de Janeiro (RJ): Guanabara Koogan; 2006. p. 181-193. 39. Krebs RJ. Urie Bronfenbrenner e a ecologia do desenvolvimento humano. Santa Maria (RS): Casa; 1995. 40. Krebs RJ. A criança e o esporte: reflexões sustentadas pela teoria dos sistemas ecológicos. In: Krebs RJ, Copetti F, Beltrame TS, Pinto RF, organizadores. Os processos desenvolvimentais na infância. Belém (PA): GTR; 2003. p. 91- 104. 41. Silva YPG. Pedagogia do esporte: um estudo sobre as inter-relações entre a iniciação esportiva e o esporte profissional. O caso do basquetebol feminino do Estado de São Paulo na visão do técnico. [Dissertação de Mestrado]. Campinas: Faculdade de Educação Física da UNICAMP; 2009. 42. Galatti LG. Esporte e clube sócio-esportivo: percurso, contextos e perspectivas a partir de um estudo de caso em clube esportivo espanhol. [Tese de Doutorado]. Campinas: Faculdade de Educação Física da UNICAMP; 2010. 43. Montagner PC. A formação do jovem e a pedagogia da aprendizagem esportiva. [Tese de Doutorado]. Campinas: Faculdade de Educação Física da UNICAMP; 1999. 44. Almeida MB. Basquetebol: iniciação. Rio de Janeiro (RJ): Sprint; 2002. 45. Bento JO. Da pedagogia do desporto. In: Tani G, Bento JO, Petersen RDS, organizadores. Pedagogia do desporto. Rio de Janeiro (RJ): Guanabara Koogan; 2006. p. 26-40.

Endereço: https://portalrevistas.ucb.br/index.php/RBCM/article/view/106

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.