Entrevista: Uma Conversa com Faria Junior

Por: , Marcos Ganzeli, Marcos Verzani, , Sérgio Spósito e (Entrevistado).

Esporte e Educação - n.44 - 1977

Send to Kindle


Não existe professor de Educação Física no Brasil que não tenha tomado contato com o "livrão" "Didática da Educação Física", inicialmente editado pelo DED/MEC e depois pela Forum.

Esta obra escrita e já considerada "fora de momento" pelo próprio autor, o professor de Educação Física - carioc da Tijuca - ALFREDO GOMES DE FARIA JUNIOR, 34 anos, ex-nadador e técnico de natação. Mestre em Pedagogia e professor colaborador do curso de Pós-Graduação em EF da Universidade de São Paulo, curso que ajudou a planejar.

De uma conversa descontra´ida com Marcos Ganzeli, Marcos Versani, Mauro Betti, Sérgio Spósito e Laércio Pereira, surgiu esta entrevista em 1968, surgiu a necessidade de colocar ao alcance.

EE - Não poderíamos deixar de começar a conversa falando do "livrão".

FARIA - O livro Didática da Educação Física foi fruto de um contexto. Com a reformulação dos currículos das escolas superiores de educação física em 1968, surgiu a necessidade de colocar ao alcance de todos os professores um livro que abrangesse o maior número assuntos possível detro da Didática da Educação Física. Com isso ele recebeu ele recebeu uma série de recursos para tornar a sua leitura agradável, como fluxogramas, fotografias. É por isso que eu digo que foi um livro para o momento, e não teria mais sentido hoje, com a evolução que a didática apresentou no Brasil.

EE - Por que o sucesso de um livro de Educação Física há dez anos atrás? Tal  sucesso não ocorreu mais com nenhum outro livro?

FARIA - De 1961 a 1970 a Educação Física tomou um impulso muito grande entre nós. Na época, existia a Divisão de Educação Físoca - agora Departamento - que desenvolveu um programa agressivo de publicações. Foram lançados não só livros de Didática e treinamento esportivo, mas também o Boletim Técnico Informativo, que deu origem à Revista Brasileira de Educação Física, a Técnicas de Audiovisuais em Educação Física do Prof Aloyr Queiroz Araujo. Então, essa foi a época de grande esperança. Foi também o período da LoteriaEsportiva. É muito importante caracterizar que hoje o que nós temos de Loteria Esportiva não é o planejado inicialmente.

EE - Quanto à distribuição de recursos?

FARIA - É. O que se pensava era em injetar mais recursos no esporte estudantil, EF nas escolas, esporte amador. Mas foram encontradas dificuldades dentro do próprio Ministério quanto a organização administrativa, o que veio impedir, posteriormente, uma melhor aplicação dos recursos da Loteria. A pessoa que poderia dar melhores informações sobre isso seria o Lamartine Pereira da Costa, que viveu intensamente esse momento e foi o responsável pelo planejamento do órgão pela utilização dos recursos.

EF - E a trasnformação da Divisão em Departamento de Educação Física?

FARIA - A própria estrutura do DED não é a que foi planejada na época. Até 1970 houve uma grande efervescência, tanto na parte administratica como pedagógica.

(leia a íntegra no anexo)

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.