Enxágue Bucal com Carboidrato Não Melhora o Desempenho em Sprints Repetidos

Por: , Henrique Bortolotti, Leandro Ricardo Altimari e Ricardo Santos Oliveira.

Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano - v.15 - n.6 - 2013

Send to Kindle


Resumo

O objetivo deste trabalho foi analisar osefeitos do enxágue bucal com carboidrato sobre o desempenho, durante sprints repetidos (RSA), de jovens jogadores de futebol. Nove atletas de futebol dacategoria infantil (15,0 ± 1,5 anos; 60,7 ± 4,84 kg; 1,72 ± 0,05 m; 20,5 ± 1,25kg/m2) foram submetidos ao teste de RSA. O teste foi composto por seis sprintsde 40 m (ida/volta = 20 m + 20 m), separados por 20 s de recuperação passiva com três condições experimentais: enxágue bucal com carboidrato (CHO) ou placebo (PLA) e controle (CON). O enxágue bucal com CHO ou PLA foi conduzido 5 min antes e imediatamente antes do início dos testes em doses de 100 mL. Otempo do melhor sprint (RSAbest), a média de tempo dos sprints (RSAmean) e o índice de fadiga (IF) foram determinados nas diferentes condições experimentais. ANOVA one-way para medidas repetidas não identificou diferenças significantes (p> 0,05) para RSAbest (CHO = 7,30 ± 0,31 s; PLA = 7,30 ± 0,30 s; CON = 7,26 ±0,16 s), RSAmean (CHO = 7,71 ± 0,30 s; PLA = 7,71 ± 0,25 s; CON = 7,66 ± 0,24s) e IF (CHO = 5,58 ± 2,16%; PLA = 5,77 ± 3,04%; CON = 5,55 ± 3,72%). Os resultados sugerem que o enxágue bucal com CHO não parece capaz de melhorar odesempenho, sobre sprints repetidos, de jovens jogadores de futebol


 

Endereço: https://periodicos.ufsc.br/index.php/rbcdh/article/view/1980-0037.2013v15n6p639

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.