Epidemiologia da Reconstrução do Ligamento Cruzado Anterior no Sistema Público de Saúde do Brasil

Por: Evangelos Pappas, Milena Simic e Thiago Jambo Alves Lopes.

Revista Brasileira de Medicina do Esporte - v.22 - n.4 - 2016

Send to Kindle


Resumo

Introdução: Vários estudos têm relatado a epidemiologia da reconstrução do ligamento cruzado anterior (RLCA) na Europa e América do Norte, no entanto, não há atualmente dados referentes ao Brasil. Objetivo: Descrever a incidência de RLCA no Brasil e investigar tendências temporais e diferenças entre os grupos de idade e sexo. Métodos: Todos os casos relatados de RLCA no sistema público de saúde do Brasil entre janeiro de 2008 e dezembro 2014 foram extraídos do Departamento de Informática do Ministério da Saúde do Brasil. A análise de regressão linear foi usada para avaliar as mudanças na incidência de RLCA na população total e entre grupos de sexo e idade, tempo de internação e custos hospitalares. Resultados: Um total de 48,241 RLCA foi reportado entre 2008 e 2014, com incidência geral de 3,49 por 100.000 pessoas/ano. Homens foram responsáveis por 82% dos procedimentos. A incidência de RLCA aumentou 56% entre os homens (p = 0,01) e 112% entre as mulheres (p = 0,001). O tempo médio de permanência hospitalar diminuiu de 2,4 dias em 2008 para 1,8 dia em 2014(R2= 0,883, p = 0,002). O custo total em todos os anos foi de US$ 56 milhões, com média de US$ 1.145 por RLCA. Conclusão: Apesar da incidência total de RLCA no Brasil ser menor em comparação com outros países, ela tem aumentado ao longo dos anos, principalmente em mulheres. A criação de um registro de RLCA se faz necessária no futuro para um controle mais acurado e novas investigações
.
 

Endereço: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1517-86922016000200097&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

Ver Arquivo (PDF)

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.