Epistemologia da Educação Física: Análise do Curso de Pós-graduação em Educação Física da Unicamp

Por: Júlia Paula Motta de Souza.

60 Reunião Anual da SBPC

Send to Kindle


INTRODUÇÃO:

As pesquisas científicas, produzidas pela pós-graduação, são respostas a problemas identificados na sociedade e seus resultados devem, de alguma forma, voltar a sua origem e contribuir para o desenvolvimento sustentável desta sociedade. As pesquisas de caráter epistemológico têm um papel fundamental na análise e reflexão crítica sobre aos rumos da produção científica da pós-graduação. A análise epistemológica é uma análise de segunda ordem, que pretende revisar nossa compreensão a respeito da investigação de primeira ordem, sua intenção é estimular na ciência a auto-reflexão e a auto-crítica, processos estes imprescindíveis para que o desenvolvimento da ciência e da tecnologia sejam cada vez mais coerentes e socialmente engajados. Trata-se de observar os rumos da produção técnico-científico e suas relações ou distanciamentos com o desenvolvimento humano. Desde a década de 80 consolidou-se a discussão em torno da identidade epistemológica da área de educação física e este trabalho pretende fazer uma análise do Curso de Pós-Graduação da Educação Física da Unicamp, cuja produção é referência nacional, mas que encontra-se ainda carente de qualquer tipo de análise.


 METODOLOGIA:

O instrumento organizador utilizado para esta pesquisa é o Esquema Paradigmático, desenvolvido inicialmente por BENGOECHEA (1978) e posteriormente ampliado por SANCHEZ GAMBOA (1998). Neste estudo o conceito de paradigma surge como lógica reconstituída, ou como maneiras de ver, decifrar, analisar e articular os elementos de uma determinada produção científica. Através do Esquema Paradigmático, os diferentes elementos que compõem a pesquisa podem ser organizados de acordo com seu nível de complexidade, desde as formas mais explícitas e concretas das pesquisas (temas ou problemas abordados, as técnicas e os instrumentos) que permitem operacionalizar a investigação, até as formas mais implícitas (as concepções ontológicas que orientam e servem de princípio filosófico para a construção do novo conhecimento). Os níveis técnicos, metodológicos, teóricos e filosóficos podem ser articulados pela lógica reconstituída do esquema paradigmático, sendo que os diversos níveis da pesquisa relacionam-se uns com os outros e esclarecem-se reciprocamente em um processo dialético e dinâmico, sempre relacionado com as condições históricas de produção das pesquisas (organização, estrutura e funcionamento do curso, sua formação e sua evolução, políticas nacionais para ciência e tecnologia, etc).


RESULTADOS:

Até agosto de 2006, data do início desta pesquisa, este programa havia produzido 480 teses e dissertações, dos quais a maioria encontra-se on line, uma parte na biblioteca e 23 não foram encontrados, apesar de constarem na listagem da DAC. Pela leitura dos resumos e palavras-chave classificamos as 457 pesquisas encontradas segundo a divisão dos 12 GTTs (Grupos Temáticos de Trabalho) do Colégio Brasileiro de Ciências do Esporte (CBCE): 1) Atividade física e Saúde; 2) Comunicação e Mídia; 3) Corpo e Cultura; 4) Epistemologia; 5) Escola; 6) Formação Profissional/Campo de Trabalho; 7) Memórias da Educação Física e Esporte; 8) Movimentos sociais; 9) Pessoas Portadoras de Necessidades Especiais; 10) Políticas Públicas; 11) Recreação e Lazer; e 12) Rendimento de Alto Nível. A tabela com as quantidades de pesquisas e as porcentagem por GTT serão apresentadas no pôster, mas já podemos adiantar que o Curso de Pós-graduação da Faculdade de Educação Física da Unicamp, mesmo concentrando sua produção mais nos GTTs 12, 1, 9 e 5, contempla todas as áreas temáticas do CBCE, revelando-se um curso aberto e multidisciplinar.


 CONCLUSÕES:

O objetivo desta pesquisa é conhecer quais as características epistemológicas da produção científica do Curso de Pós- Graduação da FEF/Unicamp. Este Curso é organizado, desde sua criação, em 4 departamentos, tendo passado por algumas alterações de nomenclatura: Ciências do Esporte (DCE); Educação Motora (DEM); Educação Física Adaptada (DEAFA); e Estudos do Lazer (DEL) Utilizando o conceito de Campo científico de Bourdieu como categoria de análise, podemos observar que os departamentos não são fechados numa especificidade de objeto, pois os 4 departamentos produzem pesquisas em quase todos os GTTs. (Tabela com as distribuições das pesquisas de cada GTT produzidas por cada departamento serão apresentadas oportunamente no pôster). Em função do exposto acima concluímos que o Curso de Educação Física da Unicamp apresenta quebra de barreiras epistemológicas e de conhecimento entre os departamentos, produzindo olhares diferentes a partir de uma multidisciplinariedade e multirefencialidade, estimulando com isso, relações dinâmicas de poder no Campo científico da Educação Física.

Comentários


:-)





© 1996-2017 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.