Ergoespirometria e Composição Corporal em Mulheres Idosas Praticantes de Tai Chi Chuan

Por: Alessandra Bastos Matida, Eduardo José Torres Sá, Lídia Mara Aguiar Bezerra, Lucy Gomes Vianna, Márcio de Moura Pereira e Ricardo Moreno Lima.

Revista Brasileira de Ciência & Movimento - v.21 - n.1 - 2013

Send to Kindle


Resumo

Tai Chi Chuan (TCC) tem sido largamente praticado na China há séculos. O objetivo desta pesquisa experimental com grupo controle foi verificar os efeitos do TCC na ergoespirometria (ERGO) e na composição corporal (CC) em 34 mulheres idosas saudáveis, não praticantes de atividade física orientada. No Grupo TCC (G1) foram incluídos 16 sujeitos (idade 66,19±4,78 anos) e no Grupo Controle (G2) 18 sujeitos (idade 72,94±6,24 anos). G1 praticou o TCC Estilo Yang de 24 Movimentos durante 24 semanas, 2 vezes por semana. Cada aula constou de 15 min. de aquecimento, 20 min. de treinamento da coreografia do TCC e 15 min. de relaxamento. Antes e depois da intervenção foram mensurados volume máximo de oxigênio consumido (VO2) e Tempo de Teste (T), para ERGO em esteira e massa magra (MM) e percentual de gordura (G%) para CC através de absortometria por raios-x de dupla energia (DXA). G1 apresentou incrementos de 8,20% no VO2 (p=0,001), aumento de 13,35% no T (p=0,01) e nenhuma alteração significativa nas variáveis da CC (p>0,05) em relação ao G2. Não foi verificada correlação significativa entre as variáveis de ERGO e CC neste experimento. Estes resultados indicam que o TCC melhora ERGO, mas não CC, em mulheres idosas e sugerem que ERGO não está necessariamente ligado a CC nesta modalidade.

Endereço: http://portalrevistas.ucb.br/index.php/RBCM/article/view/2666

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.