Escala de Crenças Irracionais Aplicadas a Atletas: Proposta de Interpretação Através do Modelo de Créditos Parciais

Por: Bartira Pereira Palma, Evandro Morais Peixoto e Tatiana Cássia Nakano.

Motricidade - v.11 - n.3 - 2015

Send to Kindle


Resumo

Nesta pesquisa buscou-se evidências de validade e precisão, bem como normas de interpretação da ECI frente à população de atletas brasileiros. Participaram do estudo 205 atletas com idade entre 18 e 48 anos (média ± desvio padrão = 22.44 ± 5.25; 50.7% homens), representantes das seguintes modalidades esportivas: Futsal, Basquete, Vôlei, Rugby, Natação e Atletismo, categorias Adulta (73.7%) e Juvenil (26.3%). As respostas a ECI foram submetidos aos seguintes procedimentos estatísticos: Análise de Componentes Principais, Análise Paralela,  análise da consistência interna. Através do Modelo Rasch-Masters Partial Credit Model avaliou-se as propriedades dos itens, índices de dificuldade e ajuste (infit e outfit) e mapa de pessoas-itens. Resultados indicaram que escala avalia o construto Crenças Irracionais através de duas dimensões: passividade diante situações ou características que não podem ser modificadas; e capacidade de resolução de situações atuais e futuras, com índices de consistência interna condizentes com os indicados pela literatura 0.76 (n=10) e 0.66 (n= 18) respectivamente, 0.80 para escala total (n= 18). Em relação aos ajustes dos itens, todos se mostraram adequados (> 0.76 < 1.21 infit) e (> 0.71 < 1.3 outfit, com exceção de um item). A análise dos mapas proporcionou aumento da compreensão das pontuações obtidas pelos participantes em cada item do instrumento, apontando a ECI como um instrumento promissor a ser utilizado entre os psicólogos do esporte.

Endereço: http://revistas.rcaap.pt/motricidade/article/view/4034

Ver Arquivo (PDF)

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.