Escola X Tecnologia: Reflexões Sobre a Formação de Professores de Educação Física

Por: Beatriz Leite Mazzi, Bruno Ocelli Ungheri, Géssyca Tolomeu Oliveira, Priscila Augusta Ferreira Campos e Renato Melo Ferreira.

Caderno de Educação Física e Esporte - v.18 - n.1 - 2020

Send to Kindle


Resumo

Introdução: Na educação, os meios de comunicação de massa trouxeram mudanças e possibilidades significativas, como as mudanças cognitivas, resultando num confronto entre a forma que se aprende na escola tradicional e a forma como se aprende mediado pelas novas tecnologias de comunicação. Objetivo: Analisar se os alunos da graduação do curso de Educação Física Licenciatura da Universidade Federal de Ouro Preto sentem-se preparados para trabalhar com a tecnologia em suas aulas. Métodos: Foram selecionados randomicamente alunos do primeiro, quinto e oitavo períodos, o critério de seleção foi alunos que estivessem cursando as disciplinas disponibilizadas para seus respectivos períodos. Foi analisado, através de entrevista, a opinião de nove alunos. A entrevista teve um total de três perguntas principais e abrangeu assuntos da atualidade e aqueles já estudados na matriz curricular do curso. A análise dos dados foi conduzida de acordo com a seguinte sequência: transcrição, organização e interpretação (classificação e organização). As gravações foram transcritas por meio de digitação em um computador. A classificação e organização das informações foi feita através do método Meaning Unit (MU). Resultados: As análises dessas transcrições totalizaram, inicialmente, em 117 MU’s e que, após uma análise de concordância entre os três avaliadores com experiência em pesquisa qualitativa, com o objetivo de categorizar cada MU em uma categoria pré-definida, resultou em 77 MU’s, sendo algumas utilizadas no presente estudo. Conclusão: Conclui-se que os alunos do curso de Educação Física da Universidade Federal de Ouro Preto não se sentem preparados para trabalhar com a tecnologia em suas aulas.

Referências

ANJOS, L. F. R; OLIVEIRA, M. E. P; CAIXETA, J. E. A percepção de professores sobre o uso das tecnologias de informação e de comunicação – TIC’s no processo de ensino. Simpósio Regional de Educação/Comunicação. Anais eletrônicos. 2010. Disponível em:< http://geces.com.br/simposio/anais/wpcontent/uploads/2014/04/PERCEPCAO_DE_PROFESSORES.pdf> Acessado: 05 de abril de 2018.

ALMEIDA, L. B; PAULA, L. G; CARELLI, F. C; OSÓRIO, T. L. G; GENESTRA, M. O retrato da exclusão digital na sociedade brasileira. Revista de Gestão da Tecnologia e Sistemas de Informação, v. 2, n.1, p. 55-67, 2005.

ALONSO, M.; ALMEIDA, M. E.; VIEIRA, A. T. Formação de gestores para utilização de tecnologias de informação e comunicação. São Paulo: 1ª Ed., Takano, 2002.

BABIN, P; KOULOUMDJIAN, M. F. Os novos modos de compreender: a geração do audiovisual e do computador. São Paulo: Paulinas, 1989.

BERTHOLDO, E. O ensino híbrido: processo de ensino mediado por ferramentas tecnológicas. Revista Ponto e Vírgula. PUC-SP, n. 22, p. 59-72, 2017.

BIANCHI, P. e HATJE, M. A formação profissional em educação física permeada pelas tecnologias de informação e comunicação no centro de educação física e desportos da Universidade Federal de Santa Maria. Revista Pensar a Prática, v. 10, n 2, 2007.

BIANCHI, P; PIRES, G.L; VANZIN, T. As tecnologias de informação e comunicação na rede municipal de ensino de Florianópolis: possibilidades para a educação (física). Revista Linhas, v. 9, n. 2, p. 56-75, 2008.

BUZATO, M. E. Entre a fronteira e a periferia: linguagem e letramento na inclusão digital. 2007, Tese de Doutorado: Universidade de Campinas (UNICAMP), 2007.

CALIL, A. Caracterização da utilização das TICS pelos professores de matemática e diretrizes para ampliação do uso. 2011. 137 f. Dissertação de mestrado - universidade federal de juiz de fora. Instituto de ciências exatas. 2011. Disponível em: http://www.ufjf.br/mestradoedumat/files/2011/11/disserta%c3%a7%c3%a3o_alessandro_marques_calil.pdf acessado em: 01 de maio de 2019.

CAMPOS, M. R. Profissão docente: novas perspectivas e desafios no contexto do século XXI. In: UNESCO/CONSED; BALZANO, S. (org.). O desafio da profissionalização docente no Brasil e na América Latina. Brasília: Edições Unesco, 2007.

CARVALHO JUNIOR, A. F. P. As tecnologias nas aulas de educação física escolar. XIX CONGRESSO INTERNACIONAL DE CIENCIAS DO ESPORTE, Vitória, 8-13 de Set. 2015. Disponível em: Acesso em: 17 out. 2017

CÔTÉ, J.; SALMELA, J. H.; BARIA, A.; RUSSELL, S. J. Organizing and interpreting unstructured qualitative data. The Sport Psychologist, Champaign, v. 7, n. 2, p. 127-137, 1993.

COTRIN, G. S; FIAES, C. S; MARQUES, R L; BICHARA, I. D. Espaços urbanos para (e das) brincadeiras: um estudo exploratório na cidade de Salvador (BA). Psicologia: Teoria e Prática, São Paulo, v. 11, n. 1, p. 50-61, 2009.

DA SILVEIRA, G. C. F. FORTES, R. Letramento Digital: entre a apropriação e a proibição das práticas digitais de lazer na formação de adolescentes. In: GOMES, C. L. DEBORTOLI, J. A. O. SILVA, L. P. (Org.). Lazer, Práticas Culturais e Mediação Cultura. Autores Associados: Campinas. p. 55 - 74, 2019.

DENZIN, N.; LINCOLN, Y. S. The Sage Handbook of Qualitative Research. 3ª Ed. Londres: Sage, 2005.

ESTEFANON, S. G. B; EISENSTEIN, E. Geração digital: riscos e benefícios das novas tecnologias para crianças e adolescentes. Rio de Janeiro: Vieira e Lent, 2008.

FREITAS, A.V; LEITE, L.S. Com giz e laptop: da concepção à integração de políticas públicas de informática. Rio de Janeiro: Wak Editora, 2011.

LIBÂNEO, José Carlos. Adeus professor, adeus professora. São Paulo: Cortez, 2001.

LORENZETTI, J; TRINDADE, L. L., PIRES, D. E. P; RAMOS, F. R. S. Tecnologia, inovação tecnológica e saúde: uma reflexão necessária. Texto & Contexto Enfermagem, Santa Catarina, v.21, n.2, p. 432-439, 2012.

MENDES, C.M.L.; CUNHA, R.C.L. As novas tecnologias e suas influências na prática de atividade física e no sedentarismo. Revista Interfaces: Saúde, Humanas e Tecnologia, Juazeiro do Norte, v.1, n.2, p.1-23, 2013.

MENDES, D. S; PIRES, G. L. Educação Física & novas linguagens comunicacionais: sentidos e significados da produção de recursos audiovisuais na formação de professores. Revista Pensar a Prática, Goiânia, v. 9, n 2, 2006.

MENDONÇA J. A ditadura das tecnologias digitais de informação e comunicação (TDIC) no Brasil, e suas influências na educação brasileira. Temporalidades – Revista Discente do Programa de Pós-Graduação em História da UFMG, Belo Horizonte, v. 6, n. 2. 2014.

MIRANDA, M; VIVEIROS, E. A. K; FRIEDE, R. VASCONCELLOS, C. Ambiente, tecnologia e educação: uma proposta de dinamização das atividades escolares. E-mosaicos, Rio de Janeiro, v. 7, n.8. 2018.

OLIVEIRA, C; MOURA, S. P; SOUZA, E. R. Tic’s na educação: A utilização das tecnologias da informação e comunicação na aprendizagem do aluno. Pedagogia em Ação, v. 7, n. 1, 2015.

PAIVA, N. M. N; COSTA, J. S. A influência da tecnologia na infância: desenvolvimento ou ameaça?. Teresina. 2015.

PAULO, J. R; ENDO, M. A. T. O; BERTIN, M. Inserção de tecnologias no ensino de geografia: análise das contribuições de uma parceria com professores dos anos iniciais da educação básica. Revistas Espacios, Caracas, v. 38, n.45. 2017.

PERAYA, D. O ciberespaço: um dispositivo de comunicação e de formação midiatizada. In: ALAVA, S. Ciberespaço e formações abertas: rumo a novas práticas educacionais? Porto Alegre: Artmed, 2002.

PEREIRA, M. C; SILVA, T. M. O uso da tecnologia na educação na era digital. Revista Saberes em Rede, Cuiabá, 2013. Disponível em:< http://www.cefaprocuiaba.com.br/revista/up/ARTIGO%20IX.pdf> Acessado em: 17 de abril de 2019

RAMOS, J.M; WERLANG, L. A. G; GRÉGIS, R. A. Aquisição de língua inglesa e tecnologia: vantagens e desvantagens do uso de internet em sala de aula. Revista de Estudos Acadêmicos de Letras, Cáceres, v.10, n.2, 2017.

SANTOS, Iracy. As novas tecnologias na educação e seus reflexos na escola e no mundo do trabalho. In: II Jornada Internacional de Políticas Públicas. São Luiz, 2005.

SENA, D. C. S. As Tecnologias da Informação e da Comunicação no Ensino da Educação Física Escolar. Hipertextus,Revista Digital, v.6, 2011. Disponível em: < http://www.hipertextus.net/volume6/Hipertextus-Volume6-Dianne-Cristina-Souza-de-ena.pdf> Acessado em: 18 de abril de 2019.

SILVA, A. T. T. A infância e o brincar na era tecnológica: a escola em questão. XVI ENDIPE - Encontro Nacional de Didática e Práticas de Ensino , UNICAMP , Campinas, 2012.

SILVA, M. Os professores e o desafio comunicacional da cibercultura. In: FREIRE, Wendel (org.). Tecnologia e comunicação: as mídias na prática docente. Rio de Janeiro: Wak Ed., 2008.

SOUZA, J. A; CIRILO, E. M; SILVA, N. D; RICCI, M. F. C. C. M; RODRIGUES, M. F. A importância das Tecnologias de Comunicação e Informação (TIC) como ferramenta pedagógica na educação infantil e nas séries iniciais do Ensino Fundamental. Revista Mosaico, Vassouras, v. 8, n. 2. 2017.

SZYMANSKI, H.; ALMEIDA, L. R.; PRANDINI, R. C. A. R. (Org.). A entrevista na pesquisa em educação: a prática reflexiva. Brasília: Liber Livro, 2004

TORRES, A. L; MOTA, M. M; FERREIRA, H. S; FERREIRA, A. F; DARIDO, S. C. As Tecnologias da Informação e Comunicação e a Educação Física Escolar: a realidade de professores da rede pública municipal de Fortaleza. Educação Temática Digital, Campinas, v. 18, n. 1, p. 198-214, 2016.

THOMAS, J. R.; NELSON, J. K.; SILVERMAN, S. J. Métodos de pesquisa em atividade física. 5 ed. Porto Alegre: Artmed, 2007. 396 p.

Endereço: http://e-revista.unioeste.br/index.php/cadernoedfisica/article/view/23322

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.