Espaço, Lugar e Brincadeiras: o Que Pensam os Professores e o Que Vivem os Alunos

Por: Aline Tschoke, e Talita Stresser de Assis.

Pensar a Prática - v.15 - n.2 - 2012

Send to Kindle


Resumo

Este artigo explora o brincar das crianças nos espaços públicos e de contraturno escolar, em um bairro da cidade de Curitiba (PR), na perspectiva de professores e educadores. As etapas de investigação foram: seleção dos espaços e tempos do brincar, aplicação de questionários e observação. Com base nos dados consideramos que: os espaços para a vivência do lúdico são prioritariamente a escola e os espaços de contraturno escolar; os tempos para o brincar são o recreio, os tempos livres nos contraturnos escolares e possivelmente os fins de semana. Sendo assim, inferimos necessidade de: intensificar a oferta e a manutenção de espaços e equipamentos públicos; aumentar o envolvimento dos pais, professores e educadores no estímulo das experiências lúdicas.

Endereço: http://www.revistas.ufg.br/index.php/fef/article/view/12109/11199

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.