Espaços de Participação e Escolarização de Trabalhadores Rurais: Construção ou Destituição do Direito à Educação no Campo?

Por: Sônia Pereira.

Revista Brasileira de Educação - ANPED - v.12 - n.35 - 2007

Send to Kindle


Resumo

O estudo analisa como os trabalhadores rurais vivenciam os programas educacionais que afirmam, em seu discurso, tratar-se de um direito, entendido como um processo que não diz respeito apenas às garantias formais, inscritas nas leis, mas ao modo como as relações sociais se estruturam. A pesquisa buscou identificar os fatores explicativos da persistência dessa população em processos educacionais marcados por dificuldades e insuficiências, examinando em que medida o direito à educação vem sendo instituído no campo. O trabalho foi realizado em Baturité, Ceará, em 2005/2006, e contou com observações de aula de educação de jovens e adultos em três comunidades rurais; dinâmicas de grupo; entrevistas com sindicalistas, professores e estudantes do campo, membros de associações e técnicos governamentais. As histórias de escolarização revelam roteiros de dificuldades e destituições, mostram que a educação de jovens e adultos no campo se faz em negativo e mantém-se fora da agenda das associações, sindicato e conselhos. Conclui-se que a experiência configura mais uma destituição do direito do que sua construção e que somente políticas participativas bem estruturadas e mobilizações contundentes possibilitariam o exercício do direito à educação no campo.

Endereço: http://www.scielo.br/pdf/rbedu/v12n35/a14v1235.pdf

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.