Espécies Medicinais com Propriedades Gastro-intestinais ou com Atividade no Sistema Nervoso Central – Etimologia dos Nomes Científicos

Por: Alessandra Pinto de Lima, Ezilda Jacomassi, Jonathan Szulak, Paula Fernanda Alves e Regiane Amancio Tristão.

Arquivos de Ciências da Saúde da Unipar - v.6 - 2002

Send to Kindle


Resumo

Devido a ampla utilização de plantas medicinais no Brasil e no mundo desde a antiguidade, torna-se necessário o estudo aprofundado dos efeitos farmacológicos e toxicológicos, a fim de evitar acidentes decorrentes dos desconhecimentos das plantas. Em razão da diversidade e vasta utilização dessas espécies, fez- se necessário utilizar uma nomenclatura universal para amenizar usos incorretos que levariam à intoxicação. Visto isso, o presente trabalho objetiva esclarecimentos sobre a nomenclatura botânica e utilização terapêutica das plantas medicinais. O trabalho foi realizado através de pesquisa bibliográfica de 50 plantas medicinais, das quais foram selecionadas seis com atividade gastro-intestinal e quatro com atividade no sistema nervoso central. As plantas com atividade gastro-intestinal foram: Artemisia vulgaris (artemísia), Coleus barbatus ( boldo), Maytenus ilicifolia (espinheira-santa), Plantago major (tansagem) , Solanum paniculatum (jurubeba) e Cynara scolymus (alcachofra). As espécies com atividade no sistema nervoso central são: Lactuca sativa (alface), Melissa officinalis (melissa), Valeriana officinalis (valeriana) e Mentha pulegium (poejo). Pode-se concluir com o presente trabalho a grande importância que deve-se atribuir aos estudos e investigações sobre a nomenclatura correta de plantas, suas atividades farmacológicas e toxidez, pois essas são essenciais para diminuir a incidência de acidentes ocorrentes no Brasil e no mundo.

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.