Estado Antioxidante do Sangue Como Indicador da Eficiência do Treinamento em Nadadores

Por: B. B. Cintra, H. Tsuji, R. H. Aguilar Silva, S. Milani e T. P. Moraes.

Revista Brasileira de Ciência & Movimento - v.10 - n.3 - 2002

Send to Kindle


Resumo

A prática regular de exercício deve levar à regulação da atividade das enzimas antioxidantes no músculo esquelético e os oxidantes atuariam como indutores de tal efeito. O principal objetivo deste estudo foi determinar respostas metabólicas adaptativas ao estresse oxidativo em nadadores antes e após um período de treinamento. O estudo foi realizado com doze atletas da equipe de natação do Yara Clube de Marília, submetidos a um período de trinta dias de treinamento, seis vezes por semana. Os resultados demonstraram que exercícios de intensidade variável foram associados com redução na capacidade antioxidante do plasma e respostas adaptativas no sistema da GSH juntamente com a regulação positiva da atividade da SOD eritrocítica. Portanto, concluímos que o exercício físico prolongado em atletas moderadamente treinados, desenvolve uma resposta do sistema antioxidante numa tentativa de suplantar a geração de radicais livres advindos do metabolismo oxidativo e que o estado antioxidante intraeritrocítico e do plasma são eficientes indicadores do estresse oxidativo.

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.