Estado de Hidratação de Remadores de Competição Durante Sessões de Treinamento Indoor e Outdoor

Por: Claudio Andre Barbosa de Lira, Karine Jacon Sarro, Marília dos Santos Andrade, Rafael Júlio de F G Fachina, Rodrigo Luiz Vancini e Stéphanie Silveira D Roosevelt.

Revista Portuguesa de Ciências do Desporto - n.3 - 2016

Send to Kindle


Resumo

O remo é caracterizado por altas demandas fisiológicas e desafios am-bientais. O objetivo deste estudo foi acessar o nível de hidratação de remadores antes e depois de condições de treinamento indoor e outdoor. Dez remadores homens competitivos (20 ± 4 anos; 11 ± 2% gordura corporal; treinando 4h/ dia, 7 dias/ semana) realizaram duas sessões de treinamento de 16 km, uma indoor (60 min) e uma outdoor (80 min). Foram mensuradas a cor da urina (cartela de cor), a gravidade especí-fica da urina (refratômetro), alterações na massa corporal, ingestão de líquidos e taxa de suor, antes e depois das sessões de treinamento. A desidratação estava presente em pelo menos 70% dos atletas, antes de ambas as sessões de treinamento, como mensurado pela cor da urina e gravidade específica da urina. Houve uma perda de massa corporal maior que 2% em 80% (indoor) e 70% (outdoor) dos remadores. A taxa de suor foi maior no indoor (1.80,7L.h-1) comparado ao outdoor (1.20,4 L.h-1) (p = .016). A maioria dos remadores iniciou a manhã das sessões de treinamento hipohidratado e desidratou mais ainda, acima de 2% da massa corporal, devido ao suor, durante ambos os treinos. A taxa de suor e as mudanças na massa corporal foram maiores no treinamento indoor

Endereço: https://rpcd.fade.up.pt/entradaPT.html

Comentários


:-)





© 1996-2021 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.