Estado Nutricional e Aptidõa Fisica Relacionada á Saúde em Escolares de 1ª a 6ª Série da Rede Municipal de Ensino de Augusto Pestana, Rs.

Por: Sérgio Roberto Santos.

58 Reunião Anual da SBPC

Send to Kindle


INTRODUÇÃO:

O presente trabalho teve por objetivo avaliar o estado nutricional e a aptidão física de escolares do município de Augusto Pestana.

Através deste estudo buscamos compreender como se apresenta a saúde física dessas crianças e jovens. As avaliações foram realizadas com alunos da rede municipal de ensino, a qual compreende da pré-escola até a 6ª série do ensino fundamental. A importância desse tipo de estudo está no delineamento que pôde ser realizado através dos dados coletados sobre a aptidão física e o estado nutricional, fatores estes, que somados apresentam-se como fundamentais para a compreensão da saúde física da população infantil e jovem deste município. Espera-se que a partir dos resultados encontrados possam se desenvolver políticas que incentivem a adoção de hábitos de vida saudáveis e que também se desenvolvam projetos que promovam a pratica motora e esportiva continuada entre a população infantil e jovem do município.


METODOLOGIA:

Para coletar os dados para o presente estudo, foram empregados balança de precisão para a massa corporal, estadiômetro para a estatura, colchonetes e cronômetro para o teste de abdominal, banco de wells para a medida da flexibilidade e cones para a marcação do percurso para o teste de corrida de 9 minutos. Foram avaliados 113 alunos no total, sendo destes 58 meninos e 55 meninas os quais fazem parte das turmas da 1ª a 6ª series de escolas da rede municipal de ensino. Para a realização dos testes os alunos foram orientados em sala de aula e no local da realização dos testes e, divididos em pequenos grupos para facilitar as coletas. Após coletados, os dados foram tabulados e analisados no software Epiinfo 2000 quanto ao estado nutricional e os indivíduos classificados em 4 categorias de acordo com os critérios do CDC 2000, sendo elas; Baixo peso (1): aqueles com percentís <5 na relação IMC/idade, peso normal (2): percentil ≥5 e <85, sobrepeso (3): percentil ≥85 e <95 e Obeso (4): percentil ≥95. Para o desempenho dos testes relacionados à aptidão física os indivíduos foram classificados como tendo desempenho físico na zona recomendada como saudável (1) e abaixo da zona saudável (2) com base nos critérios da AHPHERD. Foram realizadas distribuições de freqüência para todos os dados e após foram realizadas analises estatísticas no Software SPSS 8.0, para verificar se ocorreram relações significativas entre as variáveis.


 RESULTADOS:

Pode-se verificar que a maioria dos indivíduos apresentou o estado nutricional na faixa de peso normal (81%) ao passo que apresentaram baixo peso (8%), sobrepeso (7%) e Obesidade (4%). Quanto ao desempenho nos testes tiveram desempenho normal, 78% para o teste de flexibilidade, 33% para o teste de força abdominal e 38% para o teste de corrida de 9 min. As analises estatísticas (Qui2 e Kruskal-Wallis) revelaram ocorrer diferença estatística significativa somente para o teste de corrida de 9 min (p<0.05), onde se encontrou diferenças entre os grupos de indivíduos com baixo peso frente aos do grupo de obesos, assim como nos de peso normal frente aos obesos e para os indivíduos do grupo com sobrepeso perante os obesos, sendo que em todos os casos o grupo de indivíduos obesos teve desempenho inferior aos dos demais grupos.


 CONCLUSÕES:

Diante dos resultados pode-se perceber que quanto ao estado nutricional a maioria dos indivíduos encontra-se na faixa de normalidade, ao passo que para o desempenho físico os resultados apontam para índices abaixo dos normais para uma boa saúde física (resultados dos testes de força abdominal e corrida de 9 min que mede a capacidade cardiorespiratória). Diante desses resultados percebemos que os indivíduos têm carências no que se trata do desenvolvimento de uma saúde física adequada aos índices recomendáveis. Percebe-se também de acordo com os dados das analises estatísticas que o fator obesidade foi marcante, para o desempenho, no teste de corrida de 9 min como se verificou pelas diferenças para os demais grupos. O excesso de peso corporal parece apresentar-se como fator gerador de dificuldade para a realização do deslocamento corporal o que foi comprovado com os desempenhos nesse teste de corrida. É de fundamental importância que esses indivíduos tenham um maior acompanhamento para tentar superar estas dificuldades, bem como que os demais indivíduos sejam estimulados a adotarem hábitos de vida mais saudáveis e a praticarem mais atividades físicas a fim de contribuir para sua saúde.

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.