Estado Nutricional, Nível de Atividade Física, Circunferência de Cintura e Flexibilidade em Meninos Brasileiros

Por: Arli Ramos de Oliveira, Diego Giulliano Destro Christofaro, Gabriel Grizzo Cucato, Ismael Forte Freitas Júnior, Lucas Agostini e Rômulo Araújo Fernandes.

Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano - v.9 - n.4 - 2007

Send to Kindle


Resumo

Este estudo examinou o relacionamento entre estado nutricional atividade física, circunferência de cintura e flexibilidade em meninos. A amostra compreendeu 74 meninos (11,8±1,6 anos). Foram medidos o peso corporal, a estatura, a circunferência de cintura, atividade física, gordura corporal (impedância bioelétrica) e flexibilidade. O percentual de gordura corporal foi calculado e os sujeitos foram classifi cados como eutróficos (G1), com sobrepeso (G2) ou obesos (G3) de acordo com a tabela específi ca para sexo e idade proposta por Taylor et al.18. Os procedimentos estatísticos adotados foram: média, desvio-padrão, análise de variância, teste qui-quadrado, correlação linear e regressão logística binária. O nível de significância foi estabelecido em p < 0.05. Houve diferenças entre G3 e G1 nos escores de fl exibilidade (p = 0,048). Garotos inativos e ou obesos, quando comparados a garotos ativos e ou eutrófi cos, possuíam mais do que duas vezes mais chances de apresentar um escore baixo de fl exibilidade (razão de chance= 2,9; p = 0,046, e 5,1; p = 0,047, respectivamente). Este estudo identificou a existência de relação e associação entre obesidade, inatividade física e fraca performance no teste de flexibilidade.

Endereço: https://periodicos.ufsc.br/index.php/rbcdh/article/view/4099

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.