Estados de Humor Antes e Durante os Jogos Olímpicos de Atenas/ 2004 em Jogadoras de Basquete

Por: Félix Guillén, Maurício Bara Filho e Rosaura Sanchéz.

XI Congresso de Educação Física e Ciências do Desporto dos Países de Língua Portuguesa

Send to Kindle


Resumo

Introdução: os Jogos Olímpicos constituem em um momento único da vida
de um atleta. As relações entre os estados de humor e o rendimento dos atletas
têm sido alvo de pesquisas no esporte. No entanto, nem sempre se torna possível
avaliar atletas de alto-rendimento nas mais importantes competições, quando
há altos níveis de estresse, tensão, motivação entre outras variáveis psicológicas.
Objetivo: avaliar as alterações nos níveis de humor de jogadoras de basquete
em dois momentos distintos (antes e durante os Jogos Olímpicos) Métodos:
doze jogadoras de uma seleção participante dos Jogos Olímpicos de Atenas /
2004 (idade média 26,92±4,32 anos) responderam POMS - Perfil de Estados
de Humor (MCNAIR, LORR & DROPPLEMAN, 1971, 1992) que avalia seis escalas
- tensão/ ansiedade, depressão, raiva, vigor, fatiga e confusão- em dois
momentos (1- última noite antes da viajem para Atenas e 24 horas da partida
de quartas-de-final). Resultados: a análise estatística realizada nas variáveis do
POMS demonstrou as seguintes pontuações (média ± desvio-padrão): Tensão
(19,3±3,02e 21,3±6,48 pontos entre M1 y M2, respectivamente), Depressão
(20,8±7,15 e 21,4±6,7 pontos), Raiva (20,0±4,55 e 23,8±5,98 pontos), Vigor
(24,6±4,79 e 26,0±4,81 pontos), Fadiga (18,4±6,59 e 13,9±5,3 pontos),
Confusão mental (14,1±4,75 e 12,3±3,65 pontos) e o valor total (168±24,65 e
166,3±25,16 pontos). No entanto, aplicando o teste "t" de Student somente a
variável fadiga apresentou diferença estatisticamente significativa (p<0,05).
Conclusões: as atletas apresentaram nos dois momentos o perfil desejado
Iceberg com níveis mais elevados de vigor em relação às demais variáveis A
diferença encontrada na variável fadiga indica que os valor superiores
encontrados no primeiro momento indicam uma reação natural às cargas de
treinamentos mais elevadas. A avaliação dos estado de humor é ferramenta
accessível para treinadores para verificar a evolução das cargas de treinamentos,
assim como em momentos pré e pós-competição. Sugere-se a interação dessas
variáveis com variáveis fisiológicas para melhor avaliar atletas.

Endereço: http://citrus.uspnet.usp.br/eef/uploads/arquivo/75_Anais_p403.pdf

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.