Estados de Humor de árbitros de Futebol Não Profissional

Por: , Aline Renata Rentz Fernandes, Henrique Neu Ribeiro, Maick da Silveira Viana e Ricardo Brandt.

Revista da Educação Física - UEM - v.23 - n.4 - 2012

Send to Kindle


Resumo

Objetivou-se avaliar os estados de humor de árbitros de futebol não profissional em momento pré-competitivo. Participaram do estudo 25 árbitros, sendo 07 árbitros e 18 árbitros assistentes. Utilizou-se um questionário de caracterização e a Escala de Humor de Brunel-BRUMS. Os questionários foram respondidos antes da participação em jogos de uma competição municipal. Árbitros que afirmaram não ficar doente apresentaram menor fadiga e tensão. Níveis inferiores de depressão foram verificados para aqueles com melhor qualidade de sono. Em relação à função, árbitros assistentes apresentaram tensão e fadiga maior do que os árbitros principais. Aqueles que já participaram de jogos profissionais tiveram vigor mais elevado. A idade teve relação negativa com a raiva, confusão e tensão, sendo que a última também se relacionou negativamente com o tempo de experiência na arbitragem. Ao reconhecer grupos com humor mais deprimido, é possível planejar intervenções para melhoria da saúde mental e rendimento do árbitro.

Endereço: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/RevEducFis/article/view/16139/11085

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2018 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.