Estágio Curricular Supervisionado na Formação Docente em Educação Física: as Barreiras no Processo

Por: Ana Luiza Barbosa Anversa, Bruna Solera, Luciane Cristina Arantes da Costa, Patric Paludett Flores, e Yedda Maria da Silva Caraçato de Sousa.

XXI Congresso Brasileiro de Ciências do Esporte e VIII CONICE - CONBRACE

Send to Kindle


Resumo

INTRODUÇÃO

Destaca-se, atualmente, a relevância da formação do professor do século XXI, visto que o mundo está cada vez mais veloz e dinâmico, cercado de informações e conhecimentos que se configuram com o passar dos tempos e tornam o campo da educação mais complexo e desafiador. Assim, nota-se o papel que os cursos de licenciatura possuem na concretização dessa ação, já que é a partir da formação inicial que se constituem as primeiras perspectivas de atuação docente. Nesse período, um dos componentes curriculares que se destaca é o Estágio Curricular Supervisionado (ECS), já que o mesmo tem como característica principal fornecer subsídios teóricos e práticos para a atuação do futuro professor, possibilitando representações positivas no/sobre o ambiente escolar. Contudo, pode-se pensar: há somente ações positivas no ECS? É com o intuito de responder a essa problemática, que o presente trabalho tem como objetivo analisar as barreiras encontradas durante o processo de ECS no curso de licenciatura em Educação Física da Universidade Estadual de Maringá (UEM).

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.