Estilo de Vida Individual de Universitários Jovens com Excesso de Peso da Universidade Católica de Murcia-Espanha

Por: .

141 páginas. 2007 22/06/2007

Send to Kindle


Resumo

O estilo de vida individual inclui condutas de saúde ou de risco que podem modificar o estado de saúde. O excesso de peso é um problema de saúde pública e estima-se uma prevalência média de 45% para os países europeus. Em Espanha, a Região de Murcia é uma área de alta morbimortalidade de enfermidades cardiovasculares. Neste estudo se avaliam as diferenças de condutas de saúde e de risco em universitários com excesso de peso e normopesos da Universidad Católica San Antonio de Murcia (UCAM). Métodos: Delineamento transversal de grupos paralelos (excesso de peso casos e normopesos controle), formados através de aplicação da técnica antropométrica a uma amostra de 471 jovens entre18-29 anos de ambos os sexos, matriculados em 4 cursos de licenciatura (ADE, CAU, PER, PUB) da UCAM. Foi aplicado um questionário de estilo de vida sobre consumo de álcool e tabaco, conhecimentos e condutas com relação a indicadores de saúde (pressão arterial e nível de colesterol), dieta e atividade física. Tratamento estatístico: análise de grupos independentes, tabelas de contingência que permitem saber que variáveis qualitativas mostram diferenças e associações entre os grupos, Qui-quadrado de Pearson, sendo adotado nível de significância p<0,05, seguido de análise de resíduos (1,96). A estatística descritiva (média e desvio padrão) foi utilizada para estabelecer os dois grupos: casos e controles com 65 homens e 26 mulheres cada, que apresentavam IMC<25 kg/m2. Resultados: O total de homens que apresentaram algum grau de excesso de peso foi de 65 (14%) dos avaliados e 26 (6%) em mulheres. O IMC médio do grupo caso foi de 27,78 ±2,83 kg/m2 nos homens e 26,26 ±1,37 kg/m2 nas mulheres, enquanto os homens do grupo controle apresentaram uma média igual a 22,36 ±1,72 kg/m2 e 20,76 ±2,13 kg/m2 nas mulheres. Os valores autodeclarados de peso e estatura foram subestimados, mas com acurácia, sensibilidade e especificidade altas, assim para cálculo do IMC podem ser utilizados em universitários espanhóis com excesso de peso. A realização de atividade física vigorosa regular somente foi observada entre os homens normopesos. O grupo controle gostaria saber sobre a hipertensão arterial, crê que não tem sobrepeso nem gordura abdominal, não têm pensado em controlar os alimentos gordurosos nem tenta fazê-lo. Os que pensaram em controlar algumas vezes o fizeram por conta própria. Todavia, parte do grupo com excesso de peso crê que tem sobrepeso e gordura abdominal entre média e muita, tem pensado várias vezes ou sempre em controlar os alimentos gordurosos e várias vezes ou sempre tem tentado controlar com ajuda de profissionais. Tem pensado em fazer atividade física sempre, diferente dos normopesos. A quase totalidade (95%) das universitárias com sobrepeso e a grande maioria (75%) das normopesas afirmaram controlar várias vezes ou sempre a ingestão de alimentos gordurosos. A prática de exercício físico apresentou médias quase duas vezes maiores do que as horas dedicadas no verão comparadas ao inverno. Conclusões: Comparados os grupos se observou um estilo de vida com número maior de condutas saudáveis dos universitários com excesso de peso em comparação com os normopesos

Endereço: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/13386

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.