Estilo de Vida de Acadêmicos de Educação Física da Ufsc

Por: Ricardo Lucas Pacheco.

2012 29/03/2012

Send to Kindle


Resumo

O estilo de vida é caracterizado por padrões de comportamento identificáveis que podem ter um efeito profundo na saúde dos seres humanos. Objetivou-se analisar o estilo de vida dos acadêmicos dos cursos de Educação Física da Universidade Federal de Santa Catarina – Bacharelado e Licenciatura. O estudo utilizou dois inquéritos, o primeiro com 236 acadêmicos de educação física, sendo 109 do sexo feminino, 127 do masculino, com 112 acadêmicos do Bacharelado e 124 da Licenciatura e o segundo com 757 acadêmicos de outros centros de ensino, além dos da educação física. Para a avaliação do estilo de vida foi usado o questionário “Estilo de Vida Fantástico”. Para a análise dos dados foi empregada a estatística descritiva e para verificar a associação do estilo de vida global e seus domínios com o sexo e com a habilitação, foram realizados os testes “Qui-quadrado” e o teste “Exato de Fisher”, sendo considerado um nível de significância de 5% (p<0,05). Para o segundo inquérito utilizou-se a regressão logística binária, ajustada pelas variáveis exploratórias (sexo, idade, trabalho remunerado, escolaridade da mãe, turno de estudo e estado civil), para estimativa do odds ratio e do intervalo de confiança de 95%. Observou-se que o estilo de vida global apresentou índice de inadequação baixo, (3,0%), porém quando analisados os seus domínios, foram encontrados altos valores de inadequação nos domínios atividade física, (46%), nutrição, (18%), álcool, (44%), comportamento, (40,3%) e introspecção, (26%). Quando comparado o estilo de vida e seus domínios com o sexo, encontrou-se inadequação do sexo feminino no estilo de vida geral (p= 0,04) e no domínio introspecção (p= 0,02), e do sexo masculino nos domínios álcool, (p= 0,01) e trabalho, (p= 0,01). Na comparação de estilo de vida e seus domínios com a habilitação dos acadêmicos, foi encontrado índice de inadequação para os da Licenciatura no domínio atividade física,  (p= 0,05) e para os do Bacharelado no domínio sono, cinto de segurança, stress e sexo seguro, (p= 0,05). Na comparação destes acadêmicos com os de outras áreas, acadêmicos do sexo masculino de: ciências exatas, agrárias, da terra e engenharias; ciências sociais aplicadas; e ciências humanas, linguística, letras e artes (p= 0,05) apresentaram maiores chances de inadequação no estilo de vida global. Nos domínios, nutrição, (p< 0,01), tabaco e tóxicos, (p< 0,01), e tipo de comportamento (p< 0,01), acadêmicos dos outros cursos apresentaram maior chance de inadequação, já no domínio álcool (p= 0,01), apresentaram menor chance de inadequação. Quanto ao sexo feminino, acadêmicas de outras áreas apresentaram, nos domínios atividade física, (p< 0,01) e nutrição, (p= 0,02), maior chance de inadequação, ao passo que no domínio álcool, (< 0,01) apresentaram menor chance de inadequação. Tais achados permitem concluir que existe inadequação no estilo de vida global dos acadêmicos de educação física, mais especificamente nos domínios: atividade física; álcool; sono, cinto de segurança, stress e sexo seguro; introspecção e trabalho.  
Palavras-chave:    

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.