Estimativa Perceptomotora de Adultos em Duas Tarefas Motoras: Um Estudo Preliminar

Por: E. S. Bezerra, G. C. Nobre, João Otacílio Libardoni dos Santos, M. Rossato e .

XIV Congresso de Educação Física e Ciências do Desporto dos Países de Língua Portuguesa

Send to Kindle


Resumo

Objetivo:
Investigar a Estimativa perceptomotora de adultos em duas tarefas motoras.

Métodos/Resultados:
Participaram desta pesquisa 61 universitários, sendo 30 homens e 31 mulheres com idade entre 17 e 29 anos submetidos à mensuração da Estimativa perceptomotora em uma tarefa de salto e em uma tarefa de chute. Foi utilizado um tapete de teste que consiste em um corredor de piso acarpetado (391,0 centímetros de comprimento e 65,5 centímetros de largura) acoplado a uma fita métrica escalonada em centímetros, uma fita adesiva vermelha e um cilindro de 25,4 centímetros de altura com um diâmetro de 6,35 centímetros para o salto e chute respectivamente. Seguiram-se os procedimentos descritos por Nobre (2011). Os resultados demonstraram que os homens apresentaram uma média no percentual de erro significativamente mais baixa na Estimativa do salto quando comparado as mulheres (p<0,040). No percentual de erro na Estimativa do chute, não houve diferenças estatisticamente significativas entre os sexos (p=0,621). Houve tendência à superestimação no saltar e subestimação no chutar da maioria dos indivíduos.

Conclusão:
Os indivíduos julgaram a própria capacidade de desempenho no salto como sendo superior aquele que realmente foi desempenhado. Entretanto, na Estimativa do chute a maioria das mulheres e dos homens subestimou a própria capacidade nesta tarefa motora. Sendo assim, esse comportamento perceptivo deve ser considerado, pois o sucesso na execução de uma determinada tarefa depende da maneira como o indivíduo percebe o desafio.

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.