Estratégias Não Sistemáticas de Coping em Situações Críticas de Jogo no Tênis de Mesa

Por: Dietmar Martin Samulski, Fernando Vitor Lima e Luiz Henrique Porto Vilani.

Revista Brasileira de Educação Física e Esporte - v.18 - n.4 - 2004

Send to Kindle


Resumo

Este estudo teve como objetivos, identificar e descrever as estratégias não sistemáticas de “coping” utilizadas por atletas de tênis de mesa em situações críticas de jogo, bem como analisar a eficiência destas e a intenção objetiva do atleta quando faz opção por determinada estratégia. Participaram do estudo, cinco atletas da seleção brasileira feminina de tênis de mesa, com idades entre 16 e 22 anos. Os dados foram coletados através de filmagens em vídeo, questionários, observações, quantificação das situações críticas e das técnicas de autocontrole, além da utilização do método de autoconfrontação. As principais estratégias utilizadas foram técnicas motoras (67,71%), técnicas cognitivas (9,53%) e técnicas combinadas (24,76%). As técnicas cognitivas apresentaram-se mais eficientes que as demais com relação ao sucesso na disputa dos dois pontos subseqüentes à utilização desta estratégia (p =0,04). Quanto aos objetivos das atletas com a aplicação de cada categoria de técnica, predominaram concentração, seguido de aplicação de meios táticos e reavaliação. UNITERMOS: Estresse; Estratégias de “Coping”; Tênis de Mesa.

Endereço: http://www.usp.br/eef/rbefe/v18n42004/v18p363.pdf

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.