Estresse, Comportamento de Risco e Atividade Física de Estudantes Pré-vestibulandos

Por: Cláudio Portilho Marques.

2014 28/03/2014

Send to Kindle


Resumo

O período pré-vestibular parece levar os estudantes a uma prova de autoafirmação social, intelectual e emocional. A sobrecarga de estudos, as mudanças corporais e hormonais frutos da adolescência são fatores que podem levar os indivíduos a instabilidade do comportamento e atingir estágios críticos de estresse. Objetivo: Investigar o estado de estresse e os hábitos de vida de estudantes pré-vestibulandos. Considerar as variáveis sexo, nível de atividade física e hábitos de vida: consumo de tabaco, consumo de álcool e alimentação. Métodos: A amostra foi intencional composta por estudantes, na faixa etária entre 16 e 19 anos, média 16,89, d.p. 0,62, que estivessem frequentando o terceiro ano do ensino médio e um cursinho pré-vestibular, de três colégios da rede privada de ensino, do Município de Curitiba-Paraná, com infraestrutura, localização e mensalidades escolares similares. A amostra final foi composta por 68 estudantes, 36 do sexo masculino e 32 do sexo feminino. Os sintomas de estresse foram avaliados pelo Inventário dos Sintomas de Stress de Lipp (ISSL). A prática de atividade física foi avaliada pelo Questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ-versão curta). Comportamentos de tabagismo, etilismo e hábitos alimentares foram verificados com o Questionário de Comportamento de Risco para Jovens (YRBS-C). Na avaliação fisiológica de estresse considerou-se as concentrações do cortisol salivar e capilar. A análise estatística foi realizada com auxílio do programa Excel versão Windows 7 e do programa “R” do sistema Linux. A normalidade dos dados foi verificada com a utilização do teste de Shapiro Wilk. Para as variáveis não paramétricas utilizou-se os testes de Wilcoxon e Fisher. Para as variáveis com comportamento normal utilizou-se o Teste“t”. Resultados: Nos sintomas de estresse o grupo do sexo feminino apresentou-se significativamente mais estressado que o masculino, assim como, o grupo insuficientemente ativo apresentou-se mais estressado que o grupo ativo. Para as concentrações de cortisol salivar, não foram encontradas diferenças significativas, tanto ao acordar como 30 minutos depois. Nas concentrações de cortisol capilar, nenhuma das comparações foram significativas. Com relação as associações dos hábitos de vida com o estresse, nenhuma das variáveis foram significativas. Não houve correlação entre os sintomas de estresse e as concentrações de cortisol salivar e capilar. Na identificação dos hábitos de vida, verificou-se baixo consumo de tabaco, média frequência e baixa quantidade no consumo de bebidas alcóolicas. No quesito alimentação, a grande maioria dos sujeitos coloca em prática uma dieta equilibrada, ainda que não haja o consumo diário de alimentos saudáveis, como frutas e verduras. Conclusão: Este estudo apresenta resultados importantes que afetam o estresse dos estudantes pré- vestibulandos. No tocante aos sintomas de estresse, as diferenças foram significativas para as variáveis sexo e atividade física, resultados que vão de encontro a outros estudos da literatura. A maioria dos estudantes encontrava-se na fase de resistência e com estresse psicológico. Como diferencial de outros estudos, o grupo masculino apresentou-se mais estressado, possivelmente, pela questão cultural. Na avaliação fisiológica, salivar e capilar, não foram encontradas diferenças significativas para as variáveis sexo e atividade física. A associação entre estresse e hábitos de vida saudáveis e não saudáveis não foi confirmada, muito embora, o grupo estudado tenha apresentado baixo consumo de tabaco e hábito alimentar saudável, porém, não regular. 

Endereço: http://www.pgedf.ufpr.br/Teses.html

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.