Estrutura de Prática na Aprendizagem do Golpe de Judô o Soto Gari: Foco no Kuzuzhi

Por: Fábio Rodrigo Ferreira Gomes.

66 páginas. 2016 21/07/2016

Send to Kindle


Resumo

A luta de Judô tem uma característica dual, em que os lutadores tentam derrubar um ao outro mutuamente, de forma que o ambiente se encontra em constante mudança. Os golpes de projeção do Judô são constituídos de três partes, o kuzushi (desequilíbrio), o tsukuri (preparação) e o kake (finalização), que devem ser executados em sequência. A execução de cada parte influencia a execução da parte subsequente, de maneira que para o sucesso do golpe, colocar o oponente em desequilíbrio (kuzushi) é primordial, visto que é condição para a execução bem-sucedida das partes seguintes. Durante a luta, para desequilibrar o oponente, é comum ocorrer deslocamentos mútuos de empurrar e puxar, que podem ser denominados de deslocamentos pré-kuzushi. Considerando que o kuzushi é fundamental para o sucesso do golpe, e que os deslocamentos pré-kuzushi favorecem a ocorrência efetiva do kuzushi, o objetivo deste estudo foi investigar o efeito da organização de prática na aprendizagem dos deslocamentos pré-kuzushi. Inicialmente foram realizados dois experimentos utilizando o golpe o soto gari: o primeiro experimento com iniciantes e o segundo com participantes não iniciantes (experiência entre três e seis meses de prática). Em cada experimento foram formados três grupos experimentais: o grupo de prática constante (Co), que praticou o golpe o soto gari com somente uma possibilidade de deslocamento pré-kuzushi; o grupo de prática variada por blocos (Bl), que praticou três possibilidades de deslocamentos pré-kuzushi variando-as a cada dez tentativas; e o grupo de prática variada aleatória (Al), que praticou três possibilidades de deslocamentos pré-kuzushi de forma aleatória. O delineamento experimental constou de três fases: pré-teste (3 tentativas), aquisição (250 tentativas) e teste de retenção (3 tentativas, uma semana após o último dia de aquisição). Mediante o uso de vídeo foram analisados os padrões de movimento com relação à configuração total do golpe, aos deslocamentos pré-kuzushi e ao kuzushi no tocante a ação motora e o efeito. No Experimento 1 (iniciantes) o Co apresentou superioridade aos grupos com variabilidade (Bl e Al) nos deslocamentos pré-kuzushi que foi o objeto manipulado na organização da prática, e foi o único grupo a apresentar evolução no efeito do kuzushi. No Experimento 2 (não iniciantes) os grupos com maior variabilidade (Al e Bl) apresentaram superioridade em relação ao grupo Co nos deslocamentos pré-kuzushi; já na ação motora do kuzushi o grupo Al foi superior ao grupo Co e somente os grupos com variabilidade apresentaram melhora no efeito do kuzushi. A partir dos resultados dos Experimentos 1 e 2 foi realizado um terceiro experimento, em que foi adicionado um novo grupo experimental aos três grupos do Experimento 1, Co-Al (grupo constante-aleatória), que praticou 50% iniciais da aquisição de forma constante e os 50% restantes de forma variada aleatória. Os resultados apresentaram superioridade do grupo Co-Al em relação a todos os outros grupos (Co, Bl e Al) no teste de retenção para configuração total do golpe. Concluiu-se que a prática constante ou experiência anterior antes da prática variada é importante na aprendizagem dos deslocamentos pré-kuzushi que influencia a configuração total do golpe. Provavelmente se beneficiando do que foi adquirido no aprendizado do deslocamento pré-kuzushi, os grupos Co e Co-Al nos iniciantes e o grupo Al nos não iniciantes apresentaram melhora no item efeito do kuzushi, posicionando o oponente desequilibrado.

Endereço: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/39/39132/tde-02092016-071635/en.php

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2018 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.