Estrutura Organizacional das Organizações Esportivas do Seculo XI - Caso Confederação Brasileira de Remo

Por: Rosiane Rezende de Figueiredo.

24 páginas. 2010 00/00/0000

Send to Kindle


Resumo

Brasil tem a grande oportunidade de acelerar seu desenvolvimento no esporte. Com as recentes conquistas em sediar os Jogos Mundiais Militares em 2011, a Copa do Mundo em 2014 e os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos em 2016, mega eventos do mundo esportivo, torna-se necessário que os gestores do esporte estejam preparados para estes acontecimentos, pois muitos investimentos serão feitos. O presente estudo tem o objetivo de pesquisar os modelos de estrutura organizacional utilizados na gestão empresarial e, ao final, propor um novo organograma à Confederação Brasileira de Remo. A revisão bibliográfica mostrou a evolução dos métodos de gestão, que se adaptou às exigências do mercado de cada era. Atualmente vivemos a Era da Informação, as mudanças, principalmente nas áreas da ciência e tecnologia, acontecem em uma velocidade incrível. A medalha de ouro é cada vez mais difícil. Nas organizações, o capital financeiro cede o pódio ao capital intelectual. Assim, a estrutura organizacional exigida é orgânica, flexível, prevalecem equipes multifuncionais e valoriza o trabalho em grupo. A excelência em Gestão Esportiva poderá ter início com a modernização da sua estrutura organizacional e com a valorização dos seus recursos humanos. Não há mais espaço para o improviso. No futuro, as organizações de sucesso serão as que atenderem ao alto grau de especialização exigida para o desenvolvimento sustentável do esporte, tanto na formação de atletas de alto rendimento quanto na realização de mega eventos esportivos.

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.