Estudo Biomecânico da Preensão Manual em Atletas de Diferentes Modalidades Esportivas

Por: Affonso Celso Kulevicz da Silva.

2006

Send to Kindle


Resumo

A força de preensão manual pode ser determinante em situações específicas de certas modalidades esportivas. O presente trabalho consistiu em analisar variáveis biomecânicas da preensão manual em testes de manutenção da força isométrica contínua e intervalar máximas, em atletas que utilizam este movimento na prática esportiva e em indivíduos não atletas. Pretendeu se comparar as diferenças nas características entre os grupos, entre mão dominante (MD) e não dominante (MND) e em cada teste, de forma a identificar parâmetros que fornecessem informações quantitativas em relação ao desempenho e metodologia de treino, nas diferentes modalidades esportivas. Cinqüenta sujeitos do sexo masculino, 29 atletas das modalidades de aikidô (AI), jiu-jitsu (JJ), judô (JU) e remo (RE) e 21 não atletas (NA) participaram do estudo. O teste de preensão contínuo (TC) consistiu na manutenção da força isométrica máxima durante 2 minutos, e o teste intervalar (TI), na realização de contrações musculares máximas a cada 1 segundo (1Hz), durante 4 minutos. Analisaram-se: força máxima; força medida em instantes determinados, força final, percentual do decréscimo normalizado da força e ponto de estabilização da curva de força. Os maiores valores de força foram observados no grupo JJ, independentemente do teste realizado. Nos testes de comparação entre grupos de diferentes modalidades esportivas, foram encontradas diferenças estatisticamente significativas nas variáveis: Fmáx, F15s, F30s (MD, TC); F6s, F9s, F12s, F15s, F30s, F60s, F90s, F114,330s, F150s, F180, F210s (MD, TI) e Fmáx, F3s, F6s, F9s, F12s, F15s, F180s, F210s (MND, TI) entre os NA e JJ, bem como nas variáveis Fmáx., F3s, F6s, F9s, F12s, F15s (MND, TC) entre NA, AI e JJ. Adicionalmente, observaram se diferenças estatisticamente significativas entre MD e MND nas variáveis: F6s, F9s, F12s, F15s (TC, JJ); F3s, F6s, F9s, F12s, F15s, F30s, %F9s, %F30s, %F60s (TC, JU); %F9s (TC, RE); Fmáx, F3s, F6s, F9s, F12s, F90, Ffinal (TC, AI); F3s, F6s, F9s, F12s, F15s, F30s, F60s, %F6s, %F9s, %F12s, %F15s, %F30s, Pestab. (TI, JJ); F114,330s, F150s, F180s, F210s, Ffinal, %F3s, %F6s, %F9s, Pestab (TI, JU); F210s, Ffinal, (TI, RE). Comparando-se o grupo NA e todos os atletas juntos em um grupo (AT) foram encontradas diferenças estatisticamente significativas em todas as variáveis de força para a MD (independentemente do tipo de teste) e nas variáveis: Fmáx., F3s, F6s, F9s, F12s, F15s e F30s (MND, TC); Fmáx., F3s, F6s, F9s, F12s, F15s, F30s, F60s e F90s (MND, TI); %F6s, %F9s, %F12s, %F15s, %F30s, %F60s (MD, TC); %F3s, %F6s (MND, TC), %F90s, %F150s, %F180s (MD, TI); %F210s (MND, TI). Nestes dois grupos, constataram-se diferenças entre MD e MND nas variáveis: Fmáx., F3s, F6s, F9s, F12s, F15s, F30s, F60s, %F9s, %F12s, %F15s, %F30s, %F60s (TC, AT); %Ftotal, Fmáx, F3s, F6s, F9s, F12s, F15s, Ffinal (TC, NA); Fmáx., F3s, F6s, F9s, F12s, F15s, F30s, F60s, F90s, F114,330s, F150s, F180s, F210s, Ffinal, %F3s, %F6s, %F9s, %F12s, %F15s (TI, AT); Fmáx., F3s, F6s, F9s, F12s, F15s, F30s, F60s, %F114,330s, %F150s (TI, NA). Foi observado um melhor desempenho de força dos atletas na contração muscular intervalar, mostrando ser mais adequada aos esportes avaliados. As diferenças encontradas entre mãos nos atletas em ambos os testes indicam ser necessário um trabalho de compensação muscular. Os valores de decréscimo de força podem determinar o tempo de fadiga muscular na preensão e fazer parte da estratégia de competição dos atleta.

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.