Estudo Comparativo das Respostas Autonomicas Cardiovasculares Entre Corredores de Provas de Fundo, Halterofilistas e Sedentarios

Por: Mário Augusto Paschoal.

1993 00/00/0000

Send to Kindle


Resumo

O presente trabalho foi realizado com o objetivo de investigar como dois diferentes tipos de exercícios, com suas distintas modificações morfofuncionais sobre o organismo humano, poderiam interferir sobre o controle autonômico do coração, e o desempenho aeróbio e anaeróbio. Foi realizado um estudo transversal envolvendo 2 grupos de atletas, a saber: a) cinco corredores de provas de fundo (CPF), com idade média de 23 anos, e b) cinco halterofilistas, com idade média de 22 anos. Ambos os grupos foram compostos por praticantes exclusivos das respectivas modalidades há, pelo menos, 2 anos, com expressivos resultados em competições oficiais. Também fez parte da investigação, um grupo de sedentários saudáveis (grupo controle), com idade média de 25 anos. Todos os voluntários foram avaliados atropometricamente; e para o estudo da magnitude das influências dos tipos de exercício sobre o controle vago-simpático do coração, foram utilizados testes funcionais autonômicos, não invasivos, como a manobra de Valsalva, manobra postural passiva e o teste do frio; além de exercícios físicos dinâmicos (EFD) como o protocolo descontínuo (PD), o protocolo contínuo (PC) e um teste anaeróbio dinâmico. As principais variáveis estudadas foram: a freqüência cardíaca (FC) e a pressão arterial (PA), sendo a primeira, obtida da contagem manual dos intervalos ?R-R? dos registros eletrocardiográficos colhidos durante os experimentos, e a segunda, obtida através do emprego de um esfigmomanômetro de mercúrio... Observação: O resumo, na íntegra, poderá ser visualizado no texto completo da tese digital 

Endereço: http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=vtls000079071&opt=1

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.