Estudo Comparativo Morfológico e Imunohistoquímico Entre Diferentes Métodos de Tratamento da Contusão Muscular de Gastrocnemio em Ratos

Por: Ana Carolina Brandt de Macedo.

2014 28/03/2014

Send to Kindle


Resumo

Comparar os efeitos do alongamento e/ou ultrassom terapêutico, na morfologia e imunohistoquímica muscular após contusão em ratos. Metodologia: Ratos albinos machos (n=35, 8-9 semanas, 271±14g), foram divididos em cinco grupos: Grupo Controle (GC, n=03); Grupo Lesão (GL, n=8); Grupo Lesão + Ultrassom (GLUS, n=8); Grupo Lesão + Alongamento (GLA, n=8); Grupo Lesão + Ultrassom + Alongamento (GLUSA, n=8). O gastrocnêmio direito foi submetido à contusão. A aplicação do ultrassom foi iniciada 72h após a contusão e os parâmetros utilizados foram: modo pulsado 50%, 0,5 W/cm2 , 5 min. Foram realizadas 5 aplicações, uma por dia, durante 5 dias consecutivos. No 10o dia foi iniciado o alongamento passivo manual do MG direito, 4 repetições de 30s, com 30s de repouso entre cada repetição, 1 vez por dia, de segunda à sexta-feira, por 2 semanas, totalizando 10 aplicações. Após 22 dias, os ratos foram pesados e os músculos de ambas as patas foram retirados para análise do peso e comprimento muscular, número e comprimento dos sarcômeros, área de secção transversa e porcentagem de colágeno (I e III), área da desmina e laminina. A análise dos resultados foi realizada por meio da ANOVA post hoc Tukey e para valores não paramétricos foi usado Kruskall Wallis (p<0,05). Resultados: Foi encontrado aumento significativo do peso corporal final em relação ao inicial em todos os grupos. Não foi encontrada diferença significativa no peso e comprimento musculares. Na estimativa do número de sarcômeros em série foi encontrado aumento significativo (p<0,05) entre GLA e GLUS (8479±276 vs 6856±1133); GLUSA e GLUS (8811±648 vs 6856±1133) e GLUSA e GC (8811±648 vs 6615±233) e no comprimento dos sarcômeros entre GLUS e GLA (3,2±0,4 µm vs 2,7±0,4µm). Na área de secção transversa foi observado aumento do GL quando comparado com o GLA (12787± 995µm² vs 8721±2341µm²) e na porcentagem de colágeno (I) entre GL e GLA (40±12% vs 24±14%); GL e GC (40±12% vs 21±9%; GLUS e GLA (37±10% vs 24±14%); GLUS e GC (38±10% vs 21%) e GLUSA e GC (36±12% vs 21±9%). A área de desmina encontrada no GLUSA foi maior do que no GLA (3069±989 µm² vs 1549±513 µm², p=0,02). Não foi encontrada diferença significativa x na área de laminina. Conclusão: os protocolos de intervenção não interferiam no ganho de peso corporal dos animais. A associação do ultrassom com o alongamento foi determinante para a sarcomerogênese, porém, somente o alongamento preveniu o aumento de colágeno nos músculos lesados. O ultrassom associado ao alongamento melhorou a regeneração muscular. 

Endereço: http://www.pgedf.ufpr.br/Teses.html

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.