Estudo Comparativo do Perfil da Composição Corporal de Homens Acima de 40 Anos de Idade

Por: Andreia Gulak, Aurea Maria Oliveira da Silva, Claudinei Ferreira dos Santos, Débora de Campos Vilas Boas, Diego Rodrigues, Giovana Souza, Jonas Giglio, Jose Rocha, Tatiana Vasques Giacomello, Thiago Gaudensi Costa e Vera Aparecida Madruga Forti.

XI Congresso de Educação Física e Ciências do Desporto dos Países de Língua Portuguesa

Send to Kindle


Resumo

Introdução: Estudos atuais abordam o fenômeno do envelhecimento e sua expansão mundial. Um dos principais temas pesquisados refere-se à perda da massa muscular - sarcopenia, relacionada à redução da capacidade de força muscular para as atividades quotidianas. O presente estudo analisou as a composição corporal de dois grupos etários de homens saudáveis: grupo 1 (n=10): idades entre 40-60 anos (49,77±6,47 anos); e grupo 2 (n=21): idades superiores a 60 anos (63,27±3,97 anos).

Metodologia: Os indivíduos foram submetidos à avaliação antropométrica: massa corporal total e estatura (GORDON et al., 1988). Foram calculado o índice de massa corpórea (IMC) e o padrão de distribuição da gordura corporal foi obtido pela relação cintura-quadril (RCQ).A composição corporal foi obtida pela técnica de mensuração das espessuras das dobras cutâneas (adipômetro da marca LANGE). A densidade corporal e a gordura corporal relativa foram preditas pelas equações de JACKSON e POLLOCK (1978) e de SIRI (1963), respectivamente. Os grupos foram comparados utilizando-se do teste Mann Whitney, e o grau de significância adotado foi de 5%.

Resultados: os valores médias±dp são apresentados para os grupos 1 e 2, respectivamente. Em relação à massa corporal total, não foi observada diferença significativa entre os grupos (83,29±14,35 e 80,49±12,48 kg), apesar do grupo 2 apresentar média inferior na massa corporal total, observa-se valores de IMC superiores não significativos (26,75±3,84 e 28,1±3,79 kg/m2). Adicionalmente foram observados valores significativamente superiores para o grupo 2 para as variáveis RCQ (0,9±0,04 e 1,0±0,07), gordura corporal relativa (30,64±6,38 e 33,00±5,59%) e gordura absoluta (26,15±9,46 e 27,1±8,17 kg), indicando tendência a maior acúmulo de gordura nos indivíduos mais idosos. Isto refletiu diretamente na massa magra, onde, o grupo com idade mais avançada apresentou valores significativamente inferiores ao grupo com idade entre 40 e 60 anos (57,14±6,06 e 53,56±6,21 kg).

Conclusão: Os resultados obtidos reforçam os encontrados na literatura que apontam para uma alteração morfológica que abrange uma diminuição da massa magra com o envelhecimento, além do aumento de gordura corporal. Estas alterações além de se associarem com a redução na força muscular (sarcopenia), contribuem para o aumento de risco de doenças como obesidade, diabetes e hipertensão arterial se considerados os dados de RCQ e IMC. 

Endereço: http://citrus.uspnet.usp.br/eef/uploads/arquivo/66_Anais_p303.pdf

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.