Estudo da Composição Corporal de Futebolistas Profissionais Participantes da Série a do Campeonato Paulista de 2002

Por: Túlio Gustavo do Prado Freitas.

105 páginas. 2003

Send to Kindle


Resumo

O futebol, como qualquer outro esporte coletivo quando praticado profissionalmente, exige ótimo preparo físico dos atletas. Dentro desse contexto, a análise da composição corporal tem sido amplamente utilizada como parâmetro de avaliação e acompanhamento dos programas de treinamento. Assim, este estudo teve como principais objetivos a análise das características antropométricas e de composição corporal de futebolistas profissionais. Foram avaliados 170 jogadores profissionais, do sexo masculino, com idade média de 22,4 (17 a 36) anos, pertencentes a sete clubes que disputaram a Série A do Campeonato Paulista de Futebol de 2002. Os atletas foram agrupados de acordo com as suas posições táticas de jogo, como goleiros (n = 16), zagueiros (n = 34), laterais (n = 26), meio-campistas (n = 55) e atacantes (n = 39). As variáveis coletadas foram: idade, estatura, massa corporal e sete dobras cutâneas (peitoral, axilar média, triciptal, subescapular, supra-ilíaca, abdominal e coxa). Também foram determinados o índice de massa corporal, o percentual de gordura corporal, calculado pela equação de Jackson e Pollock (1978), a gordura corporal absoluta e a massa magra. Para a comparação das variáveis dos jogadores de diferentes posições de jogo foi utilizada a análise de variância de um fator e para a identificação das diferenças foi empregado o método de comparações múltiplas de Tuckey. Não ocorreram diferenças significantes nas variáveis idade, índice de massa corporal e percentual de gordura, mas foram encontradas diferenças significantes entre os atletas de diferentes posições de jogo nas variáveis estatura, massa corporal, gordura absoluta e massa magra. Essas variáveis foram maiores nos goleiros que nos futebolistas das outras posições de jogo, sendo que a estatura, a massa corporal e a massa magra dos zagueiros foi superior às dos laterais, meias e atacantes. Entre os laterais, meias e atacantes, não foram encontradas diferenças significantes. Conclui-se que as diferentes posições táticas de jogo exigem perfis específicos de composição corporal, com a exigência de maior estatura e massa corporal dos goleiros e zagueiros, sendo que a maior massa corporal desses futebolistas ocorre de maneira proporcional à estatura, não ocorrendo excesso de gordura corporal. Os valores médios das variáveis antropométricas estudadas podem ser utilizados como referência para profissionais que atuam na preparação física de futebolistas.

Endereço: http://www.nuteses.temp.ufu.br/tde_busca/processaPesquisa.php?pesqExecutada=2&id=780&listaDetalhes%5B%5D=780&processar=Processar

Tags: ,

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.