Estudo Longitudinal dos Indicadores da Síndrome de Burnout e das Estratégias de Coping em Atletas Brasileiros de Alto Rendimento

Por: Daniel Alvarez Pires.

2014

Send to Kindle


Resumo

23-05-2014

O burnout é definido como uma síndrome psicológica de reação ao estresse crônico que ocorre em indivíduos que trabalham diretamente com pessoas. Trata-se de um conjunto de sintomas observados em três dimensões: a exaustão emocional, a despersonalização e a reduzida satisfação profissional, caracterizadas por sentimentos de extrema fadiga associada à tensão psicológica e fisiológica, atitudes e sentimentos negativos com respeito às pessoas, e avaliações negativas sobre si mesmo, respectivamente. Uma forma de prevenir e controlar a síndrome é através do coping, que é uma habilidade para lidar com ou enfrentar situações de estresse. Até o momento, os pesquisadores têm investigado o burnout em atletas a partir de delineamentos transversais ou retrospectivos. Uma das principais recomendações para o melhor entendimento sobre o burnout é a realização de estudos longitudinais que possam descrever o processo de desenvolvimento da síndrome. O estudo teve como objetivos: investigar as características temporais do burnout e das estratégias de coping de atletas de voleibol e judô; e analisar a relação entre a síndrome de burnout e as estratégias de coping em atletas durante uma temporada esportiva. A amostra do estudo foi composta por 74 atletas brasileiros de alto rendimento, de ambos os sexos, com faixa etária compreendida entre 18 e 36 anos, investigados em três grupos: geral, voleibol e judô. Os instrumentos utilizados foram: (a) Questionário de Burnout para Atletas (QBA), que avalia a frequência de sentimentos relativos ao burnout; (b) Athletic Coping Skills Inventory (ACSI-28BR), em sua versão na língua portuguesa do Brasil, que engloba pensamentos e ações utilizados para lidar com demandas internas ou externas no contexto esportivo; (c) Ficha de identificação da amostra; e (d) Diário de campo. A coleta de dados foi realizada em quatro momentos ao longo da temporada: pré-temporada e três momentos competitivos. Para responder o primeiro objetivo foi utilizado o teste de Friedman com post hoc de Dunn, e para o segundo foi utilizado o coeficiente de Spearman. Os procedimentos estatísticos foram calculados pelo pacote estatístico Prisma versão 6 e o nível de significância adotado foi de p < 0,05. Os resultados mostraram que os indicadores de burnout elevaram da pré-temporada para o final da temporada em atletas dos grupos geral e voleibol. Por outro lado, atletas de judô não apresentaram alterações nesses indicadores. Quanto às estratégias de coping, foram encontradas diferenças ao longo do tempo para a estratégia confiança/motivação nos grupos geral e judô. Por outro lado, atletas de voleibol não apresentaram alterações nesses indicadores. Por fim, a análise das correlações entre os construtos burnout e coping mostrou correlações significativas, moderadas e negativas das dimensões reduzido senso de realização esportiva e desvalorização esportiva com a estratégia de coping confiança/motivação. Esses achados evidenciaram a elevação da percepção de burnout em atletas a partir do acúmulo dos treinamentos e competições, bem como da exigência por ótimo desempenho nas competições-chave. O estudo também apontou a relevância do fator motivacional no surgimento do burnout.

Endereço: http://hdl.handle.net/1843/KMCM-9MSNFR

Ver Arquivo (PDF)

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.