Estudo do Padrão de Activação Muscular em Exercícios de Força Realizados com Máquinas e Pesos Livres

Por: Ana Sousa, Carolina Vila-Chã e Lucélia Alves.

XI Congresso de Educação Física e Ciências do Desporto dos Países de Língua Portuguesa

Send to Kindle


Resumo

Introdução: os exercícios multi-articulares, realizados com máquinas e pesos livres,
nomeadamente o exercício de meio-agachamento e prensa, são considerados eficazes
no desenvolvimento da força muscular e no fortalecimento dos músculos da coxa.
Pelo facto de se tratar de exercícios de cadeia cinética fechada, também têm sido
utilizados com grande frequência na reabilitação de lesões do joelho. Apesar destes
exercícios serem utilizados para o mesmo fim, poucos estudos compararam o padrão
da actividade muscular durante a realização destes. O presente estudo, tem como
objectivos: 1) verificar se existem diferenças no padrão de activação muscular entres
ambos os exercícios e; 2) verificar se existem diferenças no processo de co-activação.
Material e Métodos: A amostra do estudo, foi constituída por 9 sujeitos do sexo
masculino. A avaliação da força máxima dinâmica voluntária (FMV) foi estimada
para ambos os exercícios. Os testes da FMV, foram efectuados em diferentes dias,
com um intervalo de repouso mínimo de 48 horas, após os quais, cada sujeito
realizou 4 repetições de cada exercício, com a mesma intensidade de carga (60% da
FMV). Cada repetição teve a duração de 2s [1s fase descendente (FA) e 1s fase
ascendente (FD)].A actividade electromiográfica (EMG) dos músculos vasto externo
(VE), recto anterior (RA), bicípete crural (BC), foi recolhida através de eléctrodos
activos (Biopac TSD150A), a 1000Hz. Simultaneamente, os dados cinemáticos foram
registados através de dois goniómetros (Biometrics), a 1000Hz. O sinal de EMG foi
tratado através de rotinas em Matlab, e posteriormente foi calculada a raiz média
quadrática do sinal de EMG (RMS) para cada um dos músculos analisados, entre a
1ª e a 4ª repetição. Para análise das diferenças utilizamos o teste t-student para medidas
emparelhadas, com um intervalo de confiança de 95%. Resultados e Conclusões:
Da análise em função da FA e FD dos exercícios, verificámos que durante a fase
descendente, o exercício de meio-agachamento provoca um aumento significativo
da actividade dos músculos vasto externo e BC, em relação ao exercício na prensa
(p<0.001). Na fase ascendente o exercício de meio-agachamento apenas provocou
um aumento significativo no músculo BC (p=0.034). Para ambos os exercícios o
processo de co-activação foi superior durante a fase ascendente, sendo o exercício
de meio-agachamento, o que obriga a um maior processo de co-activação.

Endereço: http://citrus.uspnet.usp.br/eef/uploads/arquivo/72_Anais_p377.pdf

Ver Arquivo (PDF)

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.