Estudo da Prevalência de Alterações Posturais em Escolares do Ensino Fundamental do Muicípio de Florianópolis/sc

Por: Inês Alessandra Xavier Lima.

2006 00/00/0000

Send to Kindle


Resumo

Este estudo, do tipo descritivo-exploratório de corte transversal, objetivou investigar a prevalência de alterações posturais em escolares de 7 a 10 anos de idade, matriculados no ensino fundamental da rede municipal de Florianópolis/SC e, mais especificamente, estimar o índice de correção postural (ICP), traçar o perfil postural dos escolares, identificar o tipo de alteração postural prevalente, comparar os resultados referentes à análise postural encontrados entre os gêneros e faixas etárias e relacionar o ICP com a faixa etária, gênero e índice de massa corporal (IMC) dos escolares. Foram analisadas 256 crianças, utilizando o método de avaliação postural da Portland State University (PSU) com o auxílio de imagens fotográficas e de um software gráfico. Na avaliação observou-se os segmentos cabeça, ombros, coluna, tronco, tórax, abdômen, quadril, joelhos, pés e impressão plantar de cada indivíduo na vista lateral e na vista posterior. Os dados foram tratados empregando-se a estatística descritiva, o teste de Wilcoxon para amostras independentes e o coeficiente de correlação de Spearman (com nível de significância de p<0,05). Nos escolares em geral, na vista lateral, houve uma prevalência de alterações acentuadas nos segmentos da cabeça, ombro e lombar. Já na vista posterior, em ambos os gêneros houve uma prevalência de alterações acentuadas no segmento dos joelhos. Comparando os escolares de ambos os gêneros na vista lateral, observou-se que as meninas apresentaram significativamente maior prevalência de alterações de cabeça do que os meninos e que os meninos apresentaram uma prevalência significativamente maior do que as meninas no caso dos joelhos. Na vista posterior, as meninas apresentaram uma prevalência significativamente maior do que os meninos tanto no que se refere à cabeça quanto aos ombros. As alterações posturais apresentaram-se em todas as idades com índices variados, o mesmo acontecendo com o IMC. Conclui-se que os meninos tendenciam a apresentar uma melhor postura corporal do que as meninas.

Endereço: http://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/88443

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.