Estudo Retrospectivo de Dez Anos de Cirurgia Bariátrica Sobre os Fatores de Risco Cardiometabólicos, Atividade Física e Qualidade de Vida

Por: Larissa Monteiro Costa.

55 páginas. 2018 02/03/2018

Send to Kindle


Resumo

A obesidade trás agravos a saúde do indivíduo como o diabetes tipo 2, hipertensão arterial sistêmica, dislipidemia associada ao maior risco para as doenças cardiovasculares. A atividade física tende a melhorar as comorbidades associadas a obesidade, auxilia no controle de peso e tem impacto positivo na qualidade de vida dos indivíduos. Todavia, as variações psicossociais podem afetar a disposição dos indivíduos na prática da atividade física após a cirurgia bariátrica (CB). Objetivo: Avaliar a evolução do nível de atividade dos indivíduos, a qualidade de vida após a CB, os paramêtros clínicos, laboratoriais e os fatores de risco cardiometabólicos em 12 meses após CB em grupos de diferentes anos atendidos pelo sistema único de saúde nos últimos 10 anos. Metodologia: Participaram do estudo 78 pacientes submetidos à cirurgia bariátrica (CB). Os avaliados foram divididos em quatro grupos: 12 indivíduos entre 1-2 anos de CB (CB2), 14 indivíduos de 2-4 anos de CB (CB4), 22 indivíduos de 4-6 anos de CB (CB6), e 30 indivíduos entre 6-10 anos de CB (CB+6). Foram avaliados peso, IMC, percentual de excesso de peso, indicadores bioquímicos, comorbidades associadas a obesidade (ACRO), o nível de atividade física através do IPAQ e a qualidade de vida avaliado por BAROS. Para verificação das possíveis diferenças entre os grupos divididos por tempo de pós operatório de CB, foi utilizado o teste ANOVA (One Way), Post Hoc de Bonferroni para BAROS e PEP nos diferentes grupos. Para os demais indicadores analisados foi utilizado o teste ANOVA (Two Way), (Grupo X Momentos) e Post Hoc de Bonferroni. No que se refere ao ACRO foi realizada a contagem dos indivíduos em relação ao ponto de corte. Resultados: Houve melhoras na evolução do peso corporal nos diferentes momentos, no IMC, na circunferência da cintura, com mudanças significativos no perfil lípidico nos primeiros 12 meses de pós operatório, melhora no risco cardiometabólico, na hipertensão arterial sistêmica, na dislipidemia e no diabetes mellitus após CB. O nível de atividade física aumentou de forma significativa em CB2, CB4, CB6, no primeiro ano de pós operatório e teve queda no momento atual mantendo a classificação de ativos, IPAQ 1 ano CB2 (207,50±30,79 min), CB4 (210,67±33,69 min), CB6 (220,00±42,78 min). Na qualidade de vida CB2 e CB4 como excelente, CB4 e CB+6 como muito boa. Conclusão: A cirurgia bariátrica predispõe a prática de atividade física tende a ter resultado positivo sobre as comorbidades e a melhoria da qualidade de vida. O nível de atividade física após a cirurgia bariátrica aumentou nos diferentes grupos investigados ao mesmo tempo que número de sujeitos com diabetes, dislipidemia e hipertensão, sofreram diminuição em todos os grupos ao longo do tempo, com diferenças significativas no perfil lípidico dos diferentes grupos.

Endereço: https://ri.ufs.br/handle/riufs/7845

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2018 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.