Estudo do Salto Vertical: Uma Analise da Relação de Forças Aplicadas

Por: Emerson Miguel da Cruz.

2003 00/00/0000

Send to Kindle


Resumo

O objetivo deste estudo foi investigar as relações existentes entre forças aplicadas no salto vertical. As variáveis estudadas foram: a altura máxima atingida, a potência, a força de saída do solo, a força de chegada no solo, a força relativa e a velocidade. Foram propostos quatro objetivos específicos: analisar qual das variávies estudadas apresenta uma maior relação com a máxima impulsão vertical, analisar qual das variáveis estudadas apresenta uma maior relação com a potência gerada, analisar os valores das variávies estudadas para cada sujeito comparando os resultados obtidos em cada um dos três saltos, estabelecer um ranking decrescente de valores para os saltos verticais e a partir deste fazer uma análise comparativa entre os maiores e os menores resultados. Para tal foi usado um sistema de plataforma de força com câmeras de vídeo e infravermelho sincronizadas a este o que permitiam a obtenção dos valores de força e a reprodução virtual dos saltos. Participaram do estudo 15 sujeitos do sexo masculino com idades entre 17 e 35 anos, atletas de handebol da cidade de Goiânia. Cada sujeito realizou três saltos verticais máximos estilo counter moviment jump, os quarenta e cinco saltos feitos pelos quinze atletas foram usados para análise. A análise correlacional mostrou que a variável que mais se relacionou com a máxima impulsão vertical foi a velocidade (r = 0,99; P<0,001 e r2 = 99%) e a variável que mostrou maior relação com a potência foi a força de saída do solo (r = 0,85; P<0,001 e r2 = 73,28), as análises individuais mostram que o maior salto vertical foi atingido quando houve a melhor performance conjunta de pelo menos quatro variáveis. A análise comparativa entre os maiores e os menores resultados para o salto nos mostra que o primeiro grupo conseguiu resultados 37,6% maior que o segundo grupo e as variáveis que mais contribuíram para isto foram a velocidade e a potência. Os resultados confirmam o que é apresentado na literatura, mostrando com mais detalhes que a velocidade e a potência são fatores imprescindíveis para uma boa capacidade de salto e que a força relativa tem também grande importância neste contexto. O presente estudo pode ser de grande utilidade para a comunidade científica como base para novas discussões e para atletas e treinadores em geral serve como referência para estruturação de seus treinamentos para a capacidade de salto. 

Endereço: http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=vtls000297143&opt=1

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.