Eu Aprendi a Nadar… Percepção de Idosos Acerca da Conquista da Aprendizagem da Natação – Em Busca de Uma Reflexão Pedagógica

Por: Carmen Lucia da Silva Marques.

96 páginas. 2000 00/00/0000

Send to Kindle


Resumo

Através da realização do presente estudo objetivamos ouvir alunos idosos sobre sua percepção acerca da conquista da aprendizagem da natação e tecer, com a descoberta destas percepções, reflexões pedagógicas que venham efetivar o aluno idoso dentro do contexto educacional, e, especificamente, no contexto de aprendizagem e prática de atividades aquáticas. Nossas ações se justificam baseadas em nossa experimentação acadêmica e docente junto aos idosos que participam do Projeto de Extensão "idoso, Natação e Saúde" implementado no ano de 1986 junto ao Núcleo Integrado de Estudos e Apoio à Terceira Idade, do Centro de Educação Física e Desportos da UFSM e coordenado pelo Dr. José Francisco Silva Dias. Para concretizarmos nossas perspectivas, seguimos um caminho metodológico que viesse ao encontro das mesmas. Assim, esta pesquisa caracterizou-se como uma abordagem qualitativa do tipo estudo de caso, seguindo Ludke e André (1986), utilizando para a coleta de dados a técnica de entrevista semi-estruturada e para a análise dos resultados a técnica de análise de conteúdo (Bardin,1977). Os participantes da pesquisa (atores sociais) fazem parte do projeto de extensão Idoso, Natação e Saúde - NIEATI/UFSM, sendo elencados os idosos com idade igual ou superior a sessenta anos, de ambos os sexos, que em uma abordagem prévia (questionário) para caracterizar o perfil dos alunos participantes do respectivo projeto, afirmaram: "Eu Aprendi a Nadar". Através da incursão feita pelas falas dos atores sociais, identificamos o conceito, a percepção de sucesso (aprendizagem), a atribuição dada à conquista da aprendizagem e o sentido/significado da atividade na vida destes participantes. Concluída a análise das falas, tivemos ratificadas as questões com as quais temos desenvolvido nossa práxis e podemos condensar na presente consideração final. Deveríamos começar a mudar nosso comportamento de ensino, de modo a perceber e entender a variedade de exigências necessárias a facilitar um desempenho significativo de aprendizagem, realizando um trabalho mais afetivo - aparentemente um domínio de aprendizagem pouco valorizado - e consciente, pensando no aluno como sujeito central do processo pedagógico, respeitando-o e principalmente, conhecendo-o melhor, seus valores, sentimentos e percepções.

Endereço: http://www.nuteses.temp.ufu.br/tde_busca/processaPesquisa.php?pesqExecutada=2&id=541&listaDetalhes%5B%5D=541&processar=Processar

Tags: ,

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.