Evolução da Potência Aeróbia de Atletas de Handebol, Aferida Por Ventilometria, Após 12 Semanas de Treinamentos

Por: Angelo Borgo Neto e Helvio de Oliveira Affonso.

XIV Congresso de Educação Física e Ciências do Desporto dos Países de Língua Portuguesa

Send to Kindle


Resumo

OBJETIVOS:
Verificar a evolução da potência aeróbia após 12 semanas de treinamentos, através de teste ergométrico com utilização da ventilometria para análise do volume de gases. 16 atletas de uma equipe feminina de Handebol - ES, com peso pré = 72 ± 19,73 kg e pós 72 ± 20,18; altura 1,70 ± 9 cm; % gordura pré = 26,89 ± 5,38 % e pós 20,95 ± 4,74 %. Para calcular os níveis de Potência Aeróbia foi utilizado um software específico Limiar Anaeróbio 6.1.5 ® (CEFISE, Nova Odessa, SP, Brasil).

MÉTODOS E RESULTADOS:
Composição corporal pré e pós-treinamentos: peso = 72 ± 19,73 kg e 72 ± 20,18; altura 1,70 ± 9 cm; % gordura = 26,89 ± 5,38 % e 20,95 ± 4,74 %. Foram submetidas a 5 minutos em esteira ergométrica (Moviment RT 250) a aproximadamente 50% do VO2 máximo, para aquecimento geral, e depois foi utilizado um protocolo com 1% de inclinação iniciando a 9 km/h com incremento de 1 km/h a cada dois minutos de teste, até a exaustão ou hiper-ventilação indicada no gráfico, sem recuperação por três coletas consecutivas, estas a cada 15 segundos. VO2 máximo e absoluto pré: 37,16 ml.kg.min-1 e 2,68 l.min-1; e pós *41,72 e *3,04 (* nível de significância para p < 0,05).

CONCLUSÃO:
A ventilometria pode ser utilizada como uma ferramenta importante na avaliação das adaptações da potência aeróbia para atletas ou praticantes de atividades físicas, bem como para auxílio na prescrição de exercícios aeróbios.

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.