Exercício Como Um Novo Tratamento Para Droga Adicção: Uma Hipótese Neurobiológica e Estágio Dependente

Por: Alexis B. Peterson, Jean Abel, Mark A. Smith, Victoria Sanchez e Wendy J. Lynch.

Neuroscience & Biobehavioral Reviews - v.37 - n.8 - 2013

Send to Kindle


Resumo

A atividade física, e especificamente o exercício, tem sido sugerido como um potencial tratamento para a droga adicção. Nesta revisão, discutimos as evidências clínicas e pré-clínicas para a eficácia do exercício em diferentes fases do processo de dependência. Potenciais mecanismos neurobiológicos também são discutidos com foco nas interações dopaminérgicas e glutaminérgicas de sinalização e remodelamento da cromatina na via de recompensa cerebral. Enquanto o exercício geralmente produz uma resposta eficaz, certas condições de exercício podem ser ineficazes ou levar a efeitos prejudiciais dependendo do nível / tipo / tempo de exposição ao exercício, o estágio do vício, a droga envolvida, e a população. Durante a iniciação do uso de drogas e retirada, a eficácia do exercício pode estar relacionado com a sua capacidade de facilitar a transmissão dopaminérgica, e uma vez que a dependência se desenvolve, a sua eficácia pode estar relacionado com a sua capacidade para normalizar a sinalização glutamatérgica e dopaminérgica e reverter alterações induzidas pela droga na cromatina através de interações epigenéticas com BDNF na via de recompensa. Concluímos com futuras direções, incluindo o desenvolvimento das intervenções baseadas somente em exercício ou como coadjuvante de outras estratégias para o tratamento de droga adição. (Trad. João Francisco Barbieri)

Endereço: http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0149763413001668

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.