Exercicio Fisico, Estresse Oxidativo e Peroxidação Lipídica: Mecanismos e Efeitos

Por: éder Ricardo Petry, Julio Orlando Tirapegui, Maríana Linderberg Alvarenga e Vinícius Fernandes Cruzat.

Revista Brasileira de Ciência & Movimento - v.18 - n.4 - 2010

Send to Kindle


Resumo

Exercícios físicos associados a uma dieta balanceada são importantes fatores para a promoção da saúde. Contudo, a realização de exercícios físicos intensos e prolongados, ou de caráter exaustivo, podem promover inflamação crônica, overtraining e maior susceptibilidade de infecções. Sendo causa ou consequência, um dos fatores que contribuem para estes efeitos é o aumento exacerbado da síntese de compostos pró-oxidantes, conhecidos como espécies reativas do oxigênio (ERO) e nitrogênio (ERN). O aumento de ERO e ERN pode reduzir a capacidade antioxidante corporal, situação conhecida como estresse oxidativo. O estresse oxidativo tem sido relacionado como promotor de lesões a diversos constituintes celulares, principalmente sobre as membranas, haja vista desencadear processo de degeneração dos fosfolipídios, processo conhecido como peroxidação lipídica. Dentre as fontes de síntese de ERO, induzidas pelo exercício físico estão a mitocôndria, o processo de isquemia e reperfusão tecidual, a inflamação e a exacerbada liberação de íons metais de transição. Quando ocorrido cronicamente, o estresse oxidativo pode reduzir a massa e a força muscular, bem como, aumentar a gravidade de lesões às células, resultando em menor capacidade de recuperação. Deste modo, face essencial o conhecimento dos mecanismos e efeitos das ERO induzidas por exercícios físicos.

Endereço: http://portalrevistas.ucb.br/index.php/RBCM/article/view/1363

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.