Experiências Didáticas da Educação Física Escolar a Partir de Mídias Digitais Móveis

Por: e Taciana de Lima Burgos.

XVIII Congresso Brasileiro de Ciências do Esporte e V Conice - CONBRACE

Send to Kindle


Resumo

INTRODUÇÃO

A popularização da internet e de suas mídias tem mudado o cenário educacional brasileiro. Com a facilidade de comprar estas mídias digitais móveis, hoje eles estão disseminados nas mãos dos jovens, adentrando os ambientes escolares. As mídias fazem parte do contexto externo e interno ao escolar, a partir das suas mais diversas possibilidades de uso.
Com o crescente investimento direcionado para o desenvolvimento das tecnologias das mídias digitais móveis, observa-se que as finalidades de uso, destes, são diversas, como: Acessa, por meio da internet, as redes sociais; escutar músicas, na rádio local ou em rede; utilizar media play para armazenar e escutar músicas e podcast; enviar SMS, entre outros.
Com isso, observamos a realidade dos jovens, no contexto escolar, e é sabido que eles usam as mídias digitais móveis para as mais diversas funções, tornando-o acessório pessoal, agregado ao corpo. Assim, dentro do cenário educacional não se pode negar o uso das mídias no processo de ensino e aprendizagem. Sendo assim, resolvemos utilizar as mídias digitais móveis como instrumentos pedagógicos para a aquisição do conhecimento destes jovens. Esta realidade é presente no cotidiano de alunos e professores. Portar um celular na mochila ou no bolso da calça, é tão comum e indispensável, como usar o caderno e caneta na escola.
Partindo desta realidade e inseridos neste contexto, tivemos como população estudada alunos/as da Escola Municipal Professor Ulisses de Góis, sendo uma turma do 7º ano, uma turma do 8º ano e uma turma do 9º ano do Ensino Fundamental II. A escola fica localizada no bairro de Nova Descoberta região Sul da cidade de Natal/RN.
Entendendo esta realidade, decidimos usar as mídias digitais móveis no processo de ensino aprendizagem, das aulas de Educação Física, com estas turmas. Desta forma, elaboramos um cronograma de aula em que os alunos usariam a câmera fotográfica e filmadora do celular.
O objetivo do trabalho é apresentar experiências didáticas na Educação Física escolar a partir de Mídias Digitais móveis. Desta forma, temos como questão norteadora: Como as Mídias digitais móveis possibilitam experiências didáticas na Educação Física escolar?
Utilizamos a pesquisa-ação colaborativa (ESTEBAN, 2010, p.179), onde o trabalho acontece a partir da colaboração dos alunos e da professora de Educação Física. Com isso, a pretensão é contribuir com a ampliação do conhecimento e aprendizagem dos alunos/as, sobre as práticas corporais realizadas no ambiente externo ou interno a escola. Como também, a utilização das mídias digitais móveis, pela professora, como forma ampliar as estratégias teórico-metodológicas de ensino, nas aulas de Educação Física na escola, ajudando aos alunos/as na aprendizagem. Segundo Esteban (2010) a equipe trabalha ao mesmo tempo na pesquisa e no desenvolvimento relacionados à produção do conhecimento e sua utilização (p. 180).
A pesquisa iniciou com a inquietação da professora sobre das mídias digitais móveis pelos alunos/as e como estes veículos e equipamentos poderia ser utilizado nas aulas de Educação Física visando experiências didáticas. A professora, visualizando possibilidades, elaborou uma cronograma com total de quatro aulas, em sala de aula, equivalente a um mês de atividade.
O primeiro momento, com cada turma, para conversar com os alunos/as sobre as mídias digitais móveis:, o que são, suas funções e possibilidades de usos; como usar seus recursos e as formas de fotografar e filmar; as potencialidades da câmera e da filmadora, etc. Alguns alunos/as informaram que não tinha celular com as funções de fotografar e filmar. Então, organizamos, em cada turma, as atividades em trio, onde cada aluno/a do grupo, teria a oportunidade de realizar as atividades utilizando o celular do colega.
O diálogo com os alunos/as foi para realizarmos algumas delimitações da atividade, como: 1) informar que cada aluno/a só poderia tirar, no máximo três fotos; 2) As filmagens só poderia ter, no máximo, um minuto, e cada aluno/a só poderia fazer uma filmagem; e 3) informar que as imagens e filmagens deveriam ser de práticas corporais realizadas por eles/as e por pessoas da comunidade.
A terceira e quarta aulas, foram para baixar as fotos e filmagens dos celulares, para os computadores do laboratório de informática da escola, como também, por segurança, para o computador portátil da professora. Na quarta aula, formos para o laboratório de informática, para visualizarmos, sem edições, as imagens e filmagens realizadas e em seguida abrimos, para o debate sobre o que foi produzido usando as mídias digitais móveis.
O momento de apresentação e debate foi importante para os alunos/as que puderam perceber diversos pontos negativo, com relação ao espaços de lazer na comunidade, como: os espaços de lazer são utilizados por todos, mas nem todos cuidam deste espaço; a limpeza e manutenção dos espaços públicos não é realizada com frequência; a iluminação das praças não é adequada, etc. Os pontos positivos foram: espaço escolar e a quantidade de praças. Os alunos/as citaram que a escola deveria ser aberta nos finais de semanas para que os alunos/as utilizassem a quadra e o pátio.
No tocante as práticas corporais realizadas, os alunos/as relataram que os campos de areia são boas para futebol e vôlei. As praças possibilitam as práticas corporais como: ABCD, queimadas, tica (pega-pega), pula corda, Le parkour. No ginásio da UFRN, as praticas realizadas são jogos, futebol, badminton, corrida. Na rua, os alunos/as relataram que praticam tica, pula corda e queimada. Na escola, os alunos/as relataram que fazem praticamente todas as atividades que fazem na rua, como: tica, queimada, le parkour, futebol, vólei, ABCD, etc.
Sabendo que uso das mídias digitais móveis no espaço escolar é uma realidade na qual não podemos contornar, a comunidade escolar, familiares e políticas públicas devem direcionar o desenvolvimento educacional para esse novo contexto social. A Educação Física, inserida nesse âmbito, está mobilizando-se na tentativa de acompanhar essas novas exigências, entendendo as mídias digitais como um fator enriquecedor da experiência educacional e que oportuniza a aprendizagem sob diferentes pontos de vista. As mídias digitais móveis propõem toda uma transformação da concepção ensino-aprendizagem, tornando o aluno pensador, ativo e crítico (SENA e BURGOS, 2011). A tarefa de inserir as mídias digitais móveis nas aulas de Educação Física propõem planejar interlocuções pedagógicas com os conteúdos da disciplina agregando outros materiais (os tecnológicos), outros espaços e novas metodologias. Por fim, as mídias digitais apresentam-se como uma forma de contribuir na aprendizagem dos alunos e às novas formas de conhecer e aprender os conteúdos da Educação Física na escola.

REFERÊNCIAS
ESTEBAN, M. P. S. Pesquisa qualitativa em educação: fundamentos e tradições. Porto Alegre: Artmed, 2010.
SENA, D.; BURGOS, T. O computador e o telefone celular no processo ensino-aprendizagem da educação física escolar. Disponível em: http://www.ufpe.br/nehte/simposio/anais/Anais-Hipertexto-2010/Dianne-Sena-Taciana-Burgos.pdf. Acessado dia 05 de abril de 2013.


 

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.