Fadiga e Sintomas de Transtornos Alimentares em Bailarinos Profissionais

Por: Adriana Coutinho de Azevedo Guimarães, Melissa de Carvalho Souza Vieira, Nycolle Martins Reis, Yasmin Cristina Feitosa Rodrigues e Zenite Machado.

Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano - v.19 - n.1 - 2017

Send to Kindle


Resumo

Objetivou-se realizar uma comparação entre fadiga e transtornos alimentares em bailarinos profissionais do Brasil. Participaram 108 bailarinos (49 mulheres e 59 homens), de Ballet Clássico ou Dança Contemporânea (28,6±7,7 anos), de companhias de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Sul. Utilizaram-se instrumentos validados (Teste de Atitudes Alimentares; Bulimic Inventory Test Edinburgh; Questionário de Fadiga de oshitake; Informações gerais). Notou-se que 16% dos bailarinos possuem sintomas de transtornos de anorexia; 25% na escala sintomática de bulimia e 30% na escala de gravidade da bulimia. Identificou-se dados significativos na comparação das escalas da bulimia nervosa com os domínios da fadiga; na escala sintomática com domínio sonolência e falta de atenção no trabalho (p=0,015), na escala de gravidade com domínio projeções da fadiga ao corpo (p=0,014), e em ambas as escalas no domínio dificuldade de concentração e atenção (p=0,003 e p=0,047) e no escore de fadiga geral (p=0,016). Bailarinos com maiores escores para dificuldade de concentração e atenção possuem 1,558 (IC95%=1,113–2,179) vezes mais chances de apresentarem sintomas e bulimia. Conclui-se neste estudo, que há relação entre fadiga e sintomas de bulimia nervosa.

Endereço: https://periodicos.ufsc.br/index.php/rbcdh/article/view/1980-0037.2017v19n1p96

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.