Fatores Associados Ao Declínio da Força Muscular em Membros Superiores Entre Idosos Residentes em áreas Rurais

Por: Clarice Alves dos Santos, Natalie de Almeida Barros, Saulo Vasconcelos Rocha e Wisla Keile Medeiros Rodrigues.

Arquivos de Ciências do Esporte - v.1 - n.1 - 2013

Send to Kindle


Resumo

Objetivo: O objetivo deste estudo foi analisar os fatores associados a redução da força e potência muscular dos MMSS entre idosos residentes na zona rural de um município do nordeste do Brasil. Metodologia: Estudo de corte-transversal realizado em uma USF que atende a zona rural do município de Jequié-Ba.A população do estudo foi constituída de 95 idosos cadastrados na USF.Os dados foram coletados por meio de questionário seguido de avaliação da aptidão funcional. Na análise dos dados foram utilizados procedimentos da estatística descritiva e inferencial. Resultados: Os escores de força de membros superiores dos sujeitos investigados foram baixos tanto na avaliação da força estática quanto na força dinâmica.Os escores de força foram maiores entre os homens para ambos os testes. Os idosos jovens apresentaram maiores escores de força apenas para o teste de força estática. A força estática esteve associada a maior histórico e quedas. Conclusão: O declínio acentuado da força é um indicador importante do declínio na capacidade de realização das atividades da vida diária. Recomenda-se que as ações de atenção primária possam contemplar medidas de melhora/manutenção da aptidão funcional da população idosa residente no território adstrito.

Referências

World Health Organization. Envelhecimento ativo: uma política de saúde. radução Suzana Gontijo – Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde, 2005.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo demográfico. Características da população e dos domicílios: resultados do universo. Rio de Janeiro: IBGE; 2010.

Doherty TJ. Invited review: aging and sarcopenia. J

Appl Physiol. 2003;95(4):1717-27.

Silva TAA, Junior AF, Junior MM, Szejnfeld VL. Sarcopenia Associada ao Envelhecimento: Aspectos Etiológicos e Opções Terapêuticas. Rev Bras Reumatol, v. 46, n.6, p. 391-397, nov/dez, 2006.

Andrade RM, Matsudo SMM. Relação da Força Explosiva e Potência Muscular com a Capacidade Funcional no Processo de Envelhecimento. Rev Bras Med Esporte – Vol. 16, No 5 – Set/Out, 2010.

Garcia PA, Dias JMD, Dias RC, Santos P, Zampa CC. A study on the relationship between muscle function, functional mobility and level of physical activity in community-dwelling elderly. Rev Bras Fisioter. 2011;15(1):15-22.

Rocha SV, Almeida MMG, Araújo TM, Virtuoso Júnior JS.Atividade física no lazer e transtornos mentais comuns entre idosos residentes em um município do nordeste do Brasil. J Bras Psiquiatr. 2011;60(2):80-85.

Lima-Silva TB, Yassuda MS. 2009; The relationship betwen memory compalints and age in normal aging. Dementia e Neuropsychologia 2009; 3 (2); 94-100.

Peres K et al. Health and aging in elderly farmers: the AMI cohort. BMC Public Health 2012, 12:558.

Rocha SV, Freire MO. Nível de atividade física habitual e autopercepção do estado de saúde em idosas no município de Jequié – Bahia. RBPS 2007; 20 (3): 161-167.

Virtuoso Júnior JS, Guerra RO. Fatores associados às limitações funcionais em idosas de baixa renda. Rev Assoc Med Bras 2008; 54(5): 430-5.

Travassos C, Viacava F. Acesso e uso de serviços de saúde em idosos residentes em áreas rurais, Brasil, 1998 e 2003. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, Out. 2007; 23(10):2490-2502.

Lima-costa MF, Barreto S, Giatti L, Uchoa E. Desigualdade social e saúde entre idosos brasileiros: um estudo baseado na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios. Cad. Saúde Pública [online]. 2003, vol.19, n.3, pp. 745-757.

Beltrão KI, Camarano AA, Mello JL. Mudanças nas condições de vida dos idosos rurais brasileiros: resultados não-esperados dos avanços da seguridade rural. Governo Federal - Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Rio de Janeiro, 2005.

Parahyba MI, Veras R. Diferenciais sociodemográficos no declínio funcional em mobilidade física entre os idosos no Brasil. Ciênc. saúde coletiva [online]. 2008, vol.13, n.4, pp. 1257-1264. ISSN 1413-8123.

SABE – Saúde, Bem-estar e Envelhecimento – O Projeto Sabe no município de São Paulo: uma abordagem inicial. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde, 2003.

Barbosa AR, Souza JMP, Lebrao ML, Laurenti R, Marucci MFN. Functional limitations of Brazilian elderly by age and gender differences: data from SABE Survey. Cad Saúde Pública. 2005; 21(4):10 p.

Rosa TE, Benício MH, Latorre MR, Ramos LR. Determinant factors of functional status among the elderly. Rev. Saúde Pública [serial on the Internet]. 2003 Feb; 37(1): [about 9 p.].

Tanimoto Y, Watanabe M, Sun W, Hirota C, Sugiura Y, Kono R, et al. Association between muscle mass and disability in performing instrumental activities of daily living (IADL) in community-dwelling elderly in Japan . Archives of Gerontology and Geriatrics (2011).

Jylhä M, Guralnik JM, Balfour J, Fried LP. Walking difficulty, walking speed, and age as predictors of self-rated health: The Women’s Health and Aging Study. J Gerontol A Biol Sci Med Sci. 2001; 56: M609-17.

Nair KS. Aging muscle. Am J Clin Nutr 2005;81:953–63.

Rekeneire N, Visser M, Peila R, Nevitt MC, Cauley JA, Tylavsky FA et al. Is a fall just a fall: correlates of falling in healthy older persons. the health, aging and body composition study. J Am Geriatr Soc. 2003; 51:841-6.

Gama ZAS, Gomez-Conesa A, Ferreira MS. Epidemiologia de caidas de ancianos en Espana. Rev Esp Salud Publica. 2008;82(1):43-56.

Silva TM, Nakatani AYK, Souza ACS, Lima MCS. A vulnerabilidade do idoso para as quedas: analise de incidentes criticos. Rev Eletron Enferm. 2007 jan./ abr;9(1):64-78.

Reyes-Ortiz CA, Snih S, Markides KS. Falls among elderly persons in Latin America and the Caribben and among elderly Mexican-Americans. Rev Pan Salud Publica. 2005;17(5):307-22.

Ribeiro AP, Souza ER, Atie S, Souza AC, Schilithz AO. A influencia das quedas na qualidade de vida de idosos. Cien Saude Col. 2008;13(4):1265-3.

Rebelatto JR, Castro AP, Chan A. Quedas em idosos institucionalizados: características gerais, fatores determinantes e relações com a força de preensão manual. Acta Ortop Bras 15(3: 151-154, 2007.

Endereço: http://seer.uftm.edu.br/revistaeletronica/index.php/aces/article/view/256

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.