Fatores Associados Ao Padrão de Comportamento Sedentário em Professores da Rede Pública de Ensino

Por: Leandro Dragueta Delfino.

77 páginas. 2018 28/02/2018

Send to Kindle


Resumo

ntrodução: Atualmente, os seres humanos passam grande parte de seu tempo diário em atividades denominadas sedentárias, exemplificada pelo crescente tempo sentado, seja no trabalho, no transporte ou no lazer; tais atividades estão associadas a doenças crônicas. O trabalho tem sido o cenário em que a grande proporção de comportamentos sedentários tem sido acumulados. Entretanto, dúvidas existem se o sedentarismo se manifesta da mesma maneira em indivíduos envolvidos com atividades profissionais predominantemente não sedentárias; Objetivos: Verificar a prevalência e a associação do comportamento sedentário e suas quebras com as variáveis de estilo de vida (hábitos alimentares, prática de atividade física, tabagismo e consumo de bebidas alcoólicas), obesidade e variáveis cardiovasculares (pressão arterial e freqüência cardíaca) em docentes da rede estadual de ensino da cidade de Presidente Prudente-SP; Métodos: Todas as escolas estaduais da cidade foram convidadas a participar do estudo. Os dados concernentes ao comportamento sedentários, as quebras e variáveis de estilo de vida foram obtidos mediante aplicação de questionário. Medidas antropométricas e cardiovasculares foram realizadas no ambiente de trabalho dos professores por indivíduos treinados; Resultados: Amostra composta por 245 indivíduos (186 mulheres - 76%), com média de idade de 45 anos. A prevalência de comportamento sedentário foi de 55,3%, e o elevado tempo em atividades sedentárias foi relacionado: a menores chances de consumo de carne branca (OR=0,44 e [IC=0,24-0,79]) e maiores chances de elevado consumo de bebida alcoólica (OR=1,96 e [IC=1,17-3,28]) e obesidade abdominal (OR= 2,21 [IC= 1,23-3,97]). Quanto a quebra do comportamento sedentário no trabalho, professores com maior frequência de interrupções tiveram maiores chances de ter consumo elevado de cereais (OR=2,49 e [IC=1,05-5,92]), de serem moderada (OR=2,60 e [IC=1,28-5,28]) e suficientemente ativos fisicamente (OR=2,57 e [IC=1,14-5,77]). Já aqueles com elevada pausa desse comportamento no lazer possuíam maiores chances de elevado consumo de frutas (OR=2,33 e [IC=1,28-4,23]) e vegetais (OR=1,91 e [IC=1,05-3,49]), de serem fisicamente ativos (OR=2,34 e [IC=1,03-5,35]), e de menores chances de ter pressão arterial elevada (OR= 0,58 [IC= 0,32-0,98]); Conclusão: O elevado comportamento sedentário foi associado a hábitos alimentares inadequados, ao consumo elevado de álcool e a presença de obesidade abdominal. Indivíduos com maiores interrupções do comportamento sedentário apresentaram maiores chances de possuírem hábitos alimentares adequados, de serem fisicamente ativos e de apresentar menores chances de hipertensão.

Endereço: http://bdtd.ibict.br/vufind/Record/UNSP_e285d32676c5db5af7d8fa40b13e9da6

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.