Fatores Intrínsecos do Custo Energético da Locomoção Durante a Natação

Por: Benedito Sérgio Denadai, Camila Coelho Greco, Fabrizio Caputo e Mariana Fernandes Mendes de Oliveira.

Revista Brasileira de Medicina do Esporte - v.12 - n.6 - 2006

Send to Kindle


Resumo

A quantidade de energia metabólica gasta em transportar a massa corporal de um sujeito por unidade de distância tem sido definida como custo energético da locomoção, ou especificamente para natação, o custo de nado. As diferenças no custo de nado entre os indivíduos parecem ser influenciadas por dois principais fatores, a resistência hidrodinâmica e habilidade técnica do nadador. O menor custo de nado apresentado pelas mulheres tem sido atribuído a menor resistência hidrodinâmica decorrente de menor tamanho corporal, maior percentagem de gordura e melhor posicionamento horizontal. Porém, essas diferenças no custo de nado entre homens e mulheres desaparecem quando corrigidos para o tamanho corporal. Em relação às crianças, o maior custo de nado comparado com o dos adultos quando corrigidos para o tamanho corporal pode ser explicado principalmente por menor habilidade técnica apresentada por elas. Para indivíduos com as mesmas características antropométricas, melhor habilidade técnica e maior tamanho da superfície de propulsão, associados a aumento na eficiência propulsiva, podem reduzir o custo de nado. Quando se comparam os diferentes estilos, o mais econômico é o crawl seguido pelo de costas em qualquer velocidade de nado. O borboleta é o estilo menos econômico a baixas velocidades (0,8m·s1). Entretanto, acima dessa velocidade o peito passa a ser o estilo menos econômico.

Endereço: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_issuetoc&pid=1517-869220060006&lng=pt&nrm=iso

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.