Fatores Preditores Para Lesão de Isquiossurais em Atletas de Futebol

Por: Guilherme Fialho Reis, Juliana de Melo Ocarino, Miguel Arcanjo de Assis e Sérgio Teixeira da Fonseca.

XIV Congresso de Educação Física e Ciências do Desporto dos Países de Língua Portuguesa

Send to Kindle


Resumo

Objetivos:
Identificar preditores da ocorrência da lesão de isquiossurais (LIQS) em jogadores de futebol eanalisar como esses preditores interagem de forma não linear e contribuem para a ocorrência de LIQS.

Métodos e resultados:
Um grupo de 115 atletas de futebol masculinofoi acompanhado quanto à lesão de IQS durante um ano. Eles foram avaliados durante a pré-temporada quanto àflexibilidade de IQS, força muscular de IQS e de glúteo máximo, alinhamento pélvico no plano frontalehistóriade lesões prévias de IQS. O modelo estatístico CART(ClassificationandRegressionTree) foiutilizado para análise dos dados. O modelo classificou corretamente 92,2% das LIQS. A lesão prévia de IQS foi a primeira variável que classificou os atletas. Dentre os atletas com lesão prévia de IQS, todos com boa flexibilidade de IQS não tiveram LIQS e todos com baixa flexibilidade e grande assimetria de torque de IQS tiveram LIQS.Dos atletas que não tinham lesão prévia de IQS,todos com grande assimetria de torque de glúteo máximotiveram LIQS. Apenas 6,2% dos atletas que não tinham essa assimetria e apresentavam baixa assimetria de flexibilidade de IQS tiveram LIQS. A maioria dos atletas comassimetria de flexibilidade IQS, mas baixa inclinação pélvica, não lesaram.

Conclusão:
Aocorrência de LIQS em atletas com lesão préviaestá associada a déficits de flexibilidade e força de IQS. Já entre atletas sem lesão prévia, a correção de outro fatores como assimetrias de força de glúteo máximo e postura pélvica parecem ser necessárias para prevenção.

Tags: ,

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.