Fidedignidade Entre Peso e Estatura Reportados e Medidos e a Influência do Histórico de Atividade Física em Indivíduos Que Procuram a Prática Supervisionada de Exercícios

Por: Geraldo Albuquerque, Maranhão Neto e Polito.

Revista Brasileira de Medicina do Esporte - v.11 - n.2 - 2005

Send to Kindle


Resumo

O objetivo deste estudo foi verificar a fidedignidade entre os valores auto-reportados e medidos de peso, estatura e índice de massa corporal, além da influência do histórico de atividade física em 328 indivíduos, sendo 200 mulheres (39 ± 11 anos) e 128 homens (35 ± 10 anos) que procuraram a prática supervisionada de exercícios. Todos os indivíduos passaram por uma avaliação funcional que registrou os valores medidos e auto-reportados de peso e estatura. Os indivíduos também foram classificados como ativos (exercitavam-se três vezes ou mais por semana), pouco ativos (exercitavam-se de uma a duas vezes por semana) e inativos (não se exercitavam), de acordo com o histórico de atividade física nos últimos três meses que precederam a avaliação. Os dados obtidos pelo cálculo do coeficiente de correlação intraclasse mostraram elevada fidedignidade entre as variáveis reportadas nos homens (CCIC > 0,94) e nas mulheres (CCIC > 0,96). A ANOVA de uma entrada não sugeriu qualquer associação, isolada ou combinada, entre o histórico de atividades físicas e a regularidade destas na magnitude do erro nos relatos de homens (p > 0,29) e mulheres (p > 0,07). De acordo com esses achados, os autores fomentam a utilização do relato do peso e estatura em estudos de grande número amostral, independentemente do nível de atividade física.

Endereço: http://www.scielo.br/pdf/rbme/v11n2/a09v11n2.pdf

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.