Folkcomunicação na Imprensa de Referência: Um Sentido Popular da Copa do Mundo de 2014 no Jornal Zero Hora

Por: Marcel Neves Martins.

289 páginas. 2017 09/01/2017

Send to Kindle


Resumo

Nesta tese problematiza-se a construção de um sentido popular da Copa do Mundo de 2014, no Brasil, pelo jornal Zero Hora, da cidade de Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul. O objetivo geral do estudo é compreender como Zero Hora construiu, por meio da prática da folkcomunicação em seus textos, um sentido popular para o megaevento esportivo durante o período de realização da competição no país, entre 12 de junho e 13 de julho de 2014. A metodologia utilizada é a da “análise de conteúdo”, de Laurence Bardin. Investiga-se o “Jornal da Copa”, caderno especial de Zero Hora, criado para a cobertura e a tematização do acontecimento, com circulação nas edições diárias de ZH, do dia 12 de junho a 14 de julho de 2014. A análise apresentada é produto da exploração de cerca de 300 textos entre notícias, reportagens e crônicas. As matérias foram distribuídas em seis eixos temáticos – “jogos”, “gente”, “Porto Alegre”, “protagonistas”, “Seleção Brasileira” e “polícia” –, que orientaram o exame das estratégias comunicacionais de Zero Hora para a Copa de 2014. A hipótese de trabalho, validada na análise, é a de que Zero Hora, como veículo jornalístico da imprensa de referência, praticou um jornalismo popular, através de um processo de folkcomunicação. A investigação apontou que o sentido popular da Copa do Mundo de 2014, projetado por Zero Hora, foi o da integração da imprensa com o acontecimento e com o público do jornal, principalmente com os leitores da seção de Esportes e com fanáticos ou apenas simpatizantes do futebol, audiência potencial da competição. Zero Hora procurou promover a integração da comunidade local como um todo ao megaevento esportivo pelo engajamento de seus jornalistas na midiatização da Copa de 2014. A análise explicita a tentativa de uma união mental da sociedade. Nossa pesquisa se sustenta, em âmbito epistemológico, no paradigma da folkcomunicação, de Luiz Beltrão (1918-1986), posicionando-se na linha de estudos da folkmídia, que explora os processos de apropriação da cultura popular pelos meios de comunicação de massa.

Endereço: http://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/7207

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.