Força de Preensão Manual Como Preditor de Aptidão Física em Crianças e Adolescentes

Por: , Vagner Raso e .

Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano - v.17 - n.1 - 2015

Send to Kindle


Resumo

O objetivo deste estudo foi examinar a associação entre a força de preensão manual e a aptidão física de crianças e adolescentes de diferentes estágios de maturação sexual. Foram medidos a composição corporal e a força de preensão em 233 crianças e adolescentes (10 - 17 anos de idade), de diferentes estágios de maturação biológica. Também foram realizados os testes de impulsão vertical sem auxílio dos membros superiores, teste de abdominal, flexibilidade, agilidade e velocidade. O gasto de energético foi avaliado através das respostas ao questionário IPAQ. A força de preensão manual diferiu entre os diferentes estágios de maturação sexual. As outras variáveis de aptidão física diferiram entre os sexos. A força de preensão manual esteve associada com todas as outras variáveis da aptidão física, independentemente do sexo e da maturação sexual. Algumas dessas associações foram mediadas pelo gasto energético. A força da associação entre a força de preensão e de aptidão física variou de 20 % (teste de salto vertical: R2=0,20, P = 0,001) a 47% (velocidade em metros por segundo: R2=0,47, P = 0,001). Nossos resultados suportam a hipótese de que a força de preensão manual está associada com vários parâmetros distintos de aptidão física, independentemente da idade, sexo ou maturação sexual, sugerindo que a força de preensão manual pode ser um preditor da aptidão física geral de crianças e adolescentes.

Endereço: https://periodicos.ufsc.br/index.php/rbcdh/article/view/1980-0037.2015v17n1p1

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.